Monstros Vs Aliens

Super Monstros.

Versão testada: PlayStation 3

Monstros Vs Aliens estreou-se recentemente no grande ecrã e, como tal, aqui nos chega o jogo do costume pois se há coisa que a DreamWorks não quer é que percamos pitada das suas aventuras. Há muito que ver um novo filme de animação chegar às salas de cinema locais passou a ser sinónimo de encontrar na loja da esquina um jogo baseado no enredo do dito filme. Por isso se diz que os videojogos andam cada vez mais de mãos dadas com os filmes; para o bem ou para o mal. Na verdade até já estamos habituados a passar pelas lojas e nem ligar a estas preciosidades, pois coisa rara é encontrar um produto do género com pés e cabeça.

Surpreendentemente Monstros Vs Aliens é um daqueles jogos que merece ser levado em boa conta pois, mantendo uma relação balanceada com os acontecimentos que dão origem ao filme, consegue ao mesmo tempo apresentar uma série de outros argumentos que tornam a progressão no jogo algo credível e de interesse ponderado. O enredo inicia-se no preciso momento em que os monstros dão começo à sua fuga e estende-se até ao desfecho final da história – a derradeira batalha.

Ao longo da aventura poderão jogar com 3 personagens distintas - o The Missing Link, o BOB e a Ginormica – e isto é algo que só por si já acrescenta ao jogo uma maior diversificação de acções. Com o desenrolar da aventura os monstros irão actuar como uma equipa, sendo que cada personagem tem o seu estilo de combate próprio e um papel específico durante as missões. A Ginormica é gigante e anda de patins (errr… carros, anda de carros), o que lhe permite esquivar-se pelos cenários em busca de pontos estratégicos para atingir os inimigos. As suas missões baseiam-se em fugas nas quais terão que se desviar rapidamente de elementos do cenário, culminando geralmente com ataques finais em sequências QTE.

1

O gelatinoso BOB pode pegar-se às paredes e tectos, sendo esta uma funcionalidade muitas vezes utilizada na recorrência a puzzles ou secções nas quais devem pensar rapidamente.

Enquanto isso os outros dois personagens assemelham-se mecanicamente à generalidade dos jogos de plataformas. BOB fica encarregado das missões baseadas em puzzles enquanto o Missing Link distribui doses de acção furtiva ao longo dos diversos níveis. O jogo acaba por ser bastante acessível pois o uso das diversas personagens consegue oferecer alguma variedade que justifica a vontade de progredir no jogo. Imaginem como que será comandar todas as frentes deste batalhão quando os Monstros entram ao ataque - enquanto a Ginormica trata do exterior, o Missing Link percorre do corpo dos Robots (os Aliens, neste caso) e, ao mesmo tempo, o BOB toma conta do interior desses mesmos Robots.

Este esquema é engraçado e bem aplicado pois enquanto comandam, por exemplo, o Missing Link, poderão ver o ambiente exterior ao Robot em movimento. O mesmo acontece com o resto das personagens, sendo muitas vezes possível avistar o resto da equipa enquanto controlam uma personagem. O Missing Link é possivelmente a personagem mais divertida de controlar pois tem alguns ataques que possibilitam uma acção rápida, aliada a alguns Combos e ataques especiais que dão mais profundidade à acção. Por outro lado o BOB é mais lento, sendo que é utilizado numa acção mais ponderada e com grande recorrência a secções estilo puzzle. Enquanto jogam com o BOB irão ocasionalmente progredir numa perspectiva 2D semelhante a jogos como Bionic Comando Rearmed.

Visualmente essas secções 2D são bastante apelativas, tal como o resto da experiência em si. O jogo é dotado de um grafismo bastante agradável, até mesmo no que toca a momentos de grande euforia no ecrã, com carradas de inimigos a cruzarem o vosso caminho. Os cenários roçam muitas vezes o derivativo, pois acabam muitas vezes por se repetir. Ainda assim o colorido que apresentam será certamente o bastante para apelar tanto aos mais novos como aos graúdos.

Comentários (7)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!