Afro Samurai

Uma vingança com fraca convicção.

Versão testada: PlayStation 3

No mundo da animação e banda desenhada Japonesa já vimos praticamente de tudo, ou quase tudo. É um dos muitos fascínios para os que se deixam envolver por este mundo pois as temáticas abrangidas e trabalhadas oferecem uma enorme variedade que se depara perante nós. Entre as séries mais carismáticas e mais irreverentes a vir do Japão, nos últimos tempos, está Afro Samurai que através de uma combinação de elementos que se tinham como impensáveis de juntar, criaram um universo completamente distinto e capaz de apelar a diferentes públicos.

Afro Samurai conta-nos uma história de vingança, uma como tantas outras várias vezes apresentadas, na qual o protagonista desta história nada quer com o bem do mundo e nada quer fazer pela paz. Apenas quer sangue pelas lágrimas derramadas quando ainda era pequeno e viu o seu pai morrer. Afro diz que não é nada de pessoal, todo o banho de sangue e toda a violência que deixa para trás apenas tem como origem um sentimento muito simples, vingança. O jogo assume automaticamente que somos fãs do manga ou anime por isso se não tiveram um mínimo de contacto com as fontes, então vão ficar completamente desnorteados pois o jogo nada faz para nos situar e tal pode representar um grave problema para quem se aventura apenas pelo gosto pelo género.

1

Este é Afro, um homem de poucas palavras apesar de ter uma voz muito famosa.

Um história sem nada de estranho mas como o nome muito bem indica, com um protagonista estranho pois um Afro Samurai não é algo que seja propriamente comum. É aqui que temos a primeira indicação dos elementos tão distintos que normalmente entrariam em choque mas que são usados lado a lado, no próprio nome. Temos um samurai Afro na terra dos samurais mas este não é um Japão feudal como estamos habituados a ver. Neste universo temos uma sociedade que vive pela lei da espada mas com uma tecnologia avançada para a altura, mas só em alguns elementos, e apesar de termos telemóveis por exemplo, as armas usadas são iguais ás da altura tal como na vida real, e ainda não há luz eléctrica, apesar de já se usarem máquinas potentes para a criação de ciborgues.

Dito isto, estamos prontos para embarcar na jornada de Afro Samurai, um hack 'n' slash que encaixa na perfeição na forma de adaptar o anime a videojogo mas que nada faz para afastar os problemas que facilmente se abatem sobre o género. Apesar de nos oferecer vários golpes e combinações, Afro Samurai rapidamente revela um esquema extremamente repetitivo no qual o pressionar constante dos mesmos botões de forma alguma é evitado ou até mesmo apelativo. Em certos momentos temos um pequeno descanso mas dado o esquema e design de níveis também ele altamente repetitivo, rapidamente regressamos ao pressionar dos mesmos botões incessantemente. Este é um dos maiores problemas de Afro Samurai, rapidamente se torna repetitivo e sem brilho até porque somos forçados a repetir e a passar mais do que uma vez por determinado local, o que em nada ajuda a atenuar a sensação de longevidade artificialmente prolongada pois parece que estamos sempre a fazer o mesmo.

2

Muita violência e muito sangue, os cartões de visita de Afro Samurai.

O esquema de combate é pouco profundo e variando entre golpes fortes e fracos facilmente eliminamos as sucessivas vagas de inimigos de forma obrigatória para que paredes invisíveis desapareçam e nos permitam progredir. A inteligência dos inimigos é praticamente inexistente e apenas nos limitamos a derrotar inimigos sem qualquer brio. Os momentos em que usamos o ataque focus são os momentos que continuam a manter algum interesse passado algum tempo de repetidos movimentos, inimigos e situações. Todos os hack 'n' slash têm uma característica que os personaliza e difere dos demais, em Afro Samurai é o ataque focus no qual após acumular quantidade necessária (revelada através de um pequeno cristal que Afro tem na sua espada pois neste jogo não temos quaisquer barras) faz com que a imagem fique a preto e branco, o tempo decorre mais devagar e dá-nos a possibilidade de matar os inimigos com um só golpe.

Momentos de extrema violência podem acontecer com grande frequência e dão-nos alguns dos melhores momentos com os inimigos a serem desmembrados de forma gloriosa graças a este sistema dinâmico. Seja em que parte do corpo for, alguns tentam desviar-se, vão autenticamente cortar o vosso inimigo e dar lugar a um verdadeiro festival de violência mas que também é bastante útil em termos de jogabilidade, pois pode livrar-nos de vários inimigos ao mesmo tempo.

Comentários (25)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!