Forza Horizon: Expansão Rally - Análise

Série estreia-se fora do alcatrão, mas surpreende como sempre.

Um Lamborghini a fazer Rally? Nesta expansão é uma grandes diversões que vão encontrar.

Versão testada: Xbox 360

Não vai assim há tanto tempo que fiquei maravilhado com Forza Horizon, um novo jogo no género de corridas que trouxe consigo frescura ao combinar a liberdade de um mundo aberto com uma jogabilidade que se aproxima dos jogos da simulação. É o jogo ideal para quem sempre sonhou ter ao seu dispor uma grande máquina com centenas de cavalos e fazer-se à estrada como se não houvesse amanhã.

Mas a Turn 10 e o Playground Studios não querem que a nossa paixão pelos automóveis e emoções fortes que estes originam esfriem, e para além dos novos pacotes com mais carros fantásticos, expandiu o território de Horizon com uma expansão dedicada ao Rally.

Pelas estradas do estado do Colorado já encontrávamos pequenos trechos de terra que podíamos fazer de conta que estávamos a praticar Rally, mas esta expansão traz pistas e trechos verdadeiramente dedicados a esta modalidade do desporto automóvel. O que encontramos aqui é diferente do que encontramos no jogo original. O Rally requer uma abordagem mais séria e permite menos erros do que as corridas tradicionais no asfalto. Os carros exibem um novo comportamento e temos que aprender a conduzir neste novo terreno que não estamos habituados.

Forza Horizon: Expansão Rally - Trailer

A dificuldade é o grande obstáculo a ultrapassar. Ficar entre os dez primeiros, não em primeiro, dá a sensação de vitória e exige um esforço e concentração imensa. Se calhar estão a pensar que estou a referir à dificuldade difícil, que pode ser escolhida nas opções antes do início de uma corrida, mas não, o que disse anteriormente é sobre a dificuldade normal, que fora do Rally dificilmente poderia ser descrita como difícil. Com um grau de exigência maior, dei por mim a recorrer à funcionalidade de recuar o jogo constantemente, dado que reiniciar a corrida é uma opção que só aparece depois de terminarem.

Nesta expansão do Rally é fundamental prestar atenção às instruções do nosso co-piloto e ter precaução sobre a forma que abordamos cada curva. Alguns dos percursos são matreiros e há curvas que enganam na velocidade a que as podemos ultrapassar. Optar por jogar com a linha de ajuda ligada torna tudo menos complicado, porém, em contrapartida, desvanece-se o desafio e a vontade de superar as nossas limitações. Não escondo que se jogarem com todas as ajudas desligadas terão que repetir o mesmo percurso várias vezes para terminarem bem colocados, mas é assim que o prazer se torna maior.

"Optar por jogar com a linha de ajuda ligada torna tudo menos complicado, porém, em contrapartida, desvanece-se o desafio e a vontade de superar as nossas limitações."

Respeitando à modalidade, as corridas são individuais e só tomamos conhecimento da posição em que nos encontramos em determinados locais do percurso, o que nos leva sempre a querer dar o nosso melhor. Levando-nos a ficar malucos para poder retirar aquele segundo ou centésimo de segundo. Quando saímos de uma curva e ficamos com a ideia que poderíamos ter curvado de uma forma mais rápida, queremos de imediato voltar atrás e fazer de novo.

A escolha do carro acaba por ser o fator mais importante e a que deverão dedicar mais tempo. Como acontece no jogo, os carros estão divididos em várias categorias. Cada etapa da expansão Rally é específica para uma dessas categorias e torna-se essencial ter ao dispor mais que dois carros. A expansão traz consigo novos carros dedicados à modalidade (mas que também poderão usar em outras corridas que não seja Rally), mas há a vantagem de poderem usar carros que já possuem com uma pequena modificação automática que o jogo faz para que esses carros possam participar em eventos de Rally, ou seja, podem usar um Lamborghini Aventador num evento de Rally, ou até um Bugatti Veyron.

A disposição do motor e a tração das rodas é um pormenor que não deve ser ignorado. Apesar de poderem usar qualquer carro, é impensável usar um monstro com mais de 700 cavalos e tração traseira num evento de Rally. Carros destes tornam-se uma besta indomável nas curvas e adoram virar a traseira fazendo-nos perder preciosos segundos. A tração às quatro rodas é a melhor escolha, e não se deixem seduzir por clássicos como o Lancia Delta S4, que é um carro muito difícil de conseguir um bom tempo (descobri por experiência própria).

Os percursos que constituem as várias etapas do campeonato Rally em Horizon, que são completamente novos, e não uma re-utilização das estradas do Colorado, são precisamente aquilo que seria de esperar de um jogo de Rally. A estrada é muito apertada e manter o carro nela requer uma concentração constante (de noite ainda pior), as curvas sinuosas são em abundância, e os inesperados relevos do terreno podem resultar num salto espetacular ou num acidente desastroso.

O único defeito que tenho a apontar é que a expansão corta aquela sensação de explorar a estrada por nós próprios. Para participarem nos eventos de Rally têm que selecionar a expansão no menu principal de Horizon, que contrasta com o restantes eventos, em que podem encontrá-los espalhados pelo mundo de Horizon.

De resto, como um complemento esta expansão é um excelente adição a Forza Horizon com um sabor muito diferente do que está incluído no disco, principalmente para aqueles que sempre ansiaram que a série Forza explorasse o território para além do alcatrão das pistas de corrida. Os 1600 pontos Microsoft pedidos são puxados, mas o que recebem em troca tem uma qualidade equiparável ao resto do jogo.

8 / 10

Lê o nosso Sistema de Pontuação Forza Horizon: Expansão Rally - Análise Jorge Loureiro Série estreia-se fora do alcatrão, mas surpreende como sempre. 2013-01-02T16:55:00+00:00 8 10

Comentários (23)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!