SBK 2011

Tudo sobre rodas?

Versão testada: PlayStation 3

Quando chega a altura para escolher um jogo de futebol, não há muito por onde fugir. Ou escolhem FIFA, ou escolhem PES. No mundo das motas, a quantidade de escolhas não difere, ou optam por MotoGP, ou optam por SBK.

No campo dos simuladores de corridas de motos, este ano a tarefa de escolha será facilitada pela qualidade de cada jogo. Qual deles é superior? Para mim a resposta é fácil. Logo após uns minutos de jogo em SBK 2011, tornou-se claro que o jogo da Milestone está uns furos acima.

A razão é simples, no geral é uma experiência mais satisfatória e apresenta melhorias em relação à edição anterior, enquanto que em MotoGP as diferenças são pouquíssimas. Para começar a Milestone deu ouvidos aos fãs. Em SBK X as motas eram difíceis de manusear nas curvas, e agora estão ligeiramente mais ágeis e leves nas curvas.

A dificuldade "Full Simulation" é mais acessível, porém, continua a não perdoar. Basta um pequeno erro, como acelerar demasiado ou sair fora da pista com a roda traseira, para perder o controlo da mota e cair.

Mais sobre SBK 2011

Para aqueles que desafios com menor dificuldade, SBK 2011 continua a ser uma excelente proposta. Como qualquer simulador, o jogo brilha quando em simulação completo, mas é possível personalizar a dificuldade para as nossas capacidades. Nas opções dá para escolher o nível da inteligência adversária, se queremos ou não danos na mota e quais as ajudas ligadas.

O modo arcade presente na edição do ano passado foi erradicado, e ainda bem que a Milestone o fez. Este modo arruinava por completo o espírito do jogo e não oferecia qualquer desafio. Os jogadores podiam acelerar o que quisessem durante uma curva e fazer cavalos a torto e direito que continuavam em cima da mota e terminavam em primeiro. Se quiserem este tipo de experiência podem sempre escolher a dificuldade mais baixa.

O modo carreira oferece basicamente aquilo que oferecia em SBK X, embora agora não temos um escritório e estamos limitados à oficina. Como é habitual, primeiro temos de criar o nosso piloto (o editor continua limitado, mas mantêm as coisas simples, afinal o importante aqui são as corridas) e escolher um dos contratos oferecidos por diferentes companhias.

A nossa carreira como piloto tem uma duração até oito anos, e objectivo é continuar a subir de classe até podermos guiar as Super Bikes. Antes disso desse glorioso momento, há que investir algum tempo. A reputação, e claro ganhar, é o mais importante. Quanto melhor for a nossa reputação maior é probabilidade de recebermos ofertas de contrato melhores.

Se estiverem a jogar numa dificuldade relativamente elevada no modo carreira, convém consultar o nosso engenheiro antes de cada corrida para adaptar a nossa mota para as condições climatéricas e pista em questão. Ou se perceberem realmente de motas e mecânica, podem sempre personalizar praticamente todos os aspectos da mota manualmente.

O modo SBK Tour é a maior novidade em SBK 2011 e adiciona ainda mais diversão ao jogo. A proposta é percorrermos os cinco continentes enquanto completamos desafios pelas várias pistas espalhadas pelo mundo. Os desafios mais simples consistem em dar uma volta completa num determinado tempo, enquanto que os mais difíceis exigem que levemos em conta outros factores. Como já referi, o modo é divertido por si só, mas também desbloqueia conteúdos como motas, pilotos e capacetes.

O visual do jogo é que deita tudo a perder. Neste departamento está completamente desactualizado, mas em comparação com MotoGP 10/11 está um pouco melhor. Ao menos consegue ser um jogo fluído sem qualquer quebra na framerate.

O online é igual aquilo que encontram em qualquer jogo de corridas nos dias de hoje. Podem optar por participar num "Quick Match" ou então criar a vossa sala com as definições ao vosso gosto (pista, dificuldade, etc). Durante o tempo que joguei, não verifiquei nenhuma latência que possa afectar o desempenho do jogo. No entanto, não posso deixar de referir que o número máximo de jogadores com que joguei, foi oito. SBK 2011 suporta o dobro desse número.

Repetindo o que já disse, se procuram um jogo de motas, SBK 2011 é a opção acertada. Não é uma revolução em relação a SBK X, mas sim uma evolução. As pequenas afinações na jogabilidade tornam-no mais agradável e o novo modo SBK Tour é uma excelente adição para ajudar a desenjoar dos habituais modos. SBK 2011 leva o troféu.

7 / 10

Lê o nosso Sistema de Pontuação SBK 2011 Jorge Loureiro Tudo sobre rodas? 2011-06-02T11:15:00+01:00 7 10

Comentários (4)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!