Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Totais de vendas no Japão

Portáteis dominam o mercado.

Depois do Media Create ter divulgado o os mais vendidos no Japão durante o ano de 2010, o Enterbrain, editora da revista Famitsu revelou os seus dados de vendas.

Diferente do Media Create, o Enterbrain coloca as vendas de Monster Hunter Portable 3rd, para a PSP, no top, ficando em segundo lugar, abaixo do Pokemon Black & White.

Neste top o Enterbrain apenas contabilizou os jogos que foram realmente lançados em 2010 e não os jogos que já vinham de 2009.

No lado das consolas, a PSP ganha por uma unha negra à Nintendo DS, com pouco mais de 10 mil consolas de diferença.

Por outro lado, em comparação anual, a PSP teve um aumento de 22% e a Nintendo DS teve uma queda de 39%.

Fiquem com os tops de software e hardware.

Software

  1. Pokemon Black & White (NDS, Nintendo) - 4,734,064
  2. Monster Hunter Portable 3rd (PSP, Capcom) - 3,163,750
  3. New Super Mario Bros. Wii (Wii, Nintendo) - 1,692,401
  4. Wii Party (Wii, Nintendo) - 1,385,541
  5. Dragon Quest VI (NDS, Square Enix) - 1,354,841
  6. Dragon Quest Monsters: Joker 2 (NDS, Square Enix) - 1,305,750
  7. Tomodachi Collection (NDS, Nintendo) - 1,112,298
  8. Super Mario Galaxy 2 (Wii, Nintendo) - 931,534
  9. Inazuma Eleven 3: Snake/Bomber (NDS, Level 5) - 930,580
  10. Kingdom Hearts: Birth By Sleep (PSP, Square Enix) - 844,980

Hardware

  1. PSP: 2,729,718 (+604,199)
  2. NDS: 2,719,544 (-1,054,354)
  3. Wii: 1,592,563 (-155,398)
  4. PS3: 1,542,258 (-126,680)
  5. 360: 231,258 (-118,405)
  6. PS2: 83,030 (-114,116)

Sobre o Autor

Jorge Soares avatar

Jorge Soares

EG.pt Master of Puppets

Sempre ocupado e cheio de trabalho, é ele quem comanda e gere a Eurogamer Portugal. Queixa-se que raramente arranja tempo para jogar, mas quando está mesmo interessado num jogo, lá consegue arranjar uns minutos. Tem mau perder e arranja sempre alguma desculpa para a sua derrota, mas no fundo, é o que todos fazemos.

Comentários