Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

The Tomorrow Children ainda é um mistério

Temos passado algum tempo nas minas.

Apesar de ter sido lançado na passada Terça-feira, The Tomorrow Children ainda continua a ser um grande mistério para a comunidade de jogadores, e para nós também. É complicado descrever este novo título do Q-Games, em colaboração com o Sony Interactive Entertainment Japan Studio, que depois das suas experiências Pixeljunk, sobe o nível de abstracto e nos apresenta este jogo. As primeiras horas com o jogo podem ser especialmente complicadas, fatigantes até, mas este é um daqueles tipos de experiência que quanto mais tempo investimos, mais a conhecemos. Não é de forma alguma imediato e mesmo após algumas horas, continua diferente e misterioso.

A fase inicial pede ao jogador para conhecer as bases do jogo, um tutorial explica ao jogador qual o seu propósito e introduz as diferentes facetas deste The Tomorrow Children. É muita informação ao mesmo tempo e o conceito do gameplay não é completamente explícito por isso será normal ficarem perdidos. Talvez seja essa a beleza deste jogo, não existe um caminho pré-definido, o jogador é colocado no mundo e começará aos poucos e poucos, através da tentativa e erro, a conhecer os moldes desta experiência. Será fácil passar horas dentro do jogo com a sensação que não estamos a ter produtividade, mas o jogo procura-nos recompensar a todo o instante, como um consolo pela paciência.

Muito resumidamente, The Tomorrow Children transporta os jogadores para um cenário pós-apocalíptico em que terá de construir cidades do zero. Como seria de esperar, um só não conseguirá muito mas dentro de uma enorme comunidade, cada formiga conseguirá ajudar a ir a algum lado. Inserido dentro de incrível burocracia, existem licenças para todo o tipo de tarefas ou utensílios, o jogador terá que trabalhar nos locais disponíveis para recolher materiais e construir do zero uma cidade.

"Singular e sem igual, The Tomorrow Children introduz-nos a um conceito que ou vão amar ou simplesmente odiar."

Como referido, toda a comunidade do jogo trabalha em prol do mesmo objectivo, por isso vemos outros jogadores a percorrer a cidade, a explorar os locais de trabalho, e até podemos trabalhar com eles. Escavar, recolher materiais, colocá-los no local de descarga, e colocá-los nos seus espaços específicos na cidade, é isto que temos feito nestas horas em torno de The Tomorrow Children. A dada altura, parece que nos esquecemos que se trata de um jogo e mais parece um trabalho. A verdade é que se torna até interessante ver como a nossa pequena contribuição ajuda a fazer uma grande diferença na cidade.

Apesar de estar disponível em formato acesso antecipado pago, o Pacote de Fundador custa €19.99, este The Tomorrow Children será apresentado como um free-to-play futuramente, e como seria de esperar, está repleto de mecânicas que vão apelar às micro-transacções necessárias para o sustentar. Quem pagar para aceder ao jogo, não sentirá muito esse peso mas é fácil entender como se pode pagar para facilitar ou acelerar o acesso a avanços na cidade, ou nas capacidades da nossa personagem.

As ilhas para onde vamos trabalhar escondem criaturas perigosas e nem sempre é saudável seguir sozinho, e toda a gestão da cidade também é importante, existem aqui tarefas específicas como correr para gerar electricidade. A todo o instante estão a ser gastos recursos pela cidade e a nossa função é assegurar que não se esgotam. Especialmente importante porque a toda volta rondam monstros gigantes prontos para atacar a cidade e destruir aquilo pelo qual trabalhamos.

Como disse, The Tomorrow Children ainda reserva imenso mistério e é curioso que começa a crescer no jogador. É um título verdadeiramente singular com o qual será difícil encontrar comparações. A ideia de uma comunidade a trabalhar em conjunto, em tempo real, em prol de um objectivo comum é bastante apelativa mas agora resta continuar a jornada para descobrir o seu apelo a médio-longo prazo. Até agora tem sido um misto de sensações mas vamos continuar a escavar, a criar novos edifícios, a adquirir novas licenças e a ser uma formiga entre muitas para descobrir o valor deste The Tomorrow Children.

Marcado com

Sobre o Autor

Bruno Galvão avatar

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Comentários

More Artigos

Artigos mais recentes