Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

The Last of Us Parte 1 - A derradeira versão

Que venha o terceiro capítulo.
Eurogamer.pt - Recomendado crachá
O poder da PlayStation 5 permitiu à Naughty Dog entregar a derradeira versão de TLOU. O que foi atingido em 2013 é agora transportado para um realismo só visto em TLOU Parte 2, pecando apenas por não o superar em alguns aspetos.

Será já no próximo ano que completará 10 anos de existência, The Last of Us é de facto um dos trabalhos mais importantes da indústria dos videojogos, com influências em todos os que se seguiram dentro do mesmo género. Completamente empolgante desde o primeiro momento que foi mostrado, confirmando-se depois como o culminar da geração PlayStation 3, lançado no epílogo da terceira consola da Sony. Regressar agora passados estes anos todos é uma viagem temporal recheada de emoções arrebatadoras. Certo que tivemos o Remaster em 2014 para a recém-lançada PlayStation 4, mas agora com o Remake, denominado por The Last of Us Parte 1, a Naughty Dog concebe a derradeira versão desta obra de arte, que chegará posteriormente até ao PC.

O anúncio deste remake dividiu a comunidade, temos os que o esperam de braços abertos e outros tantos que não encontram uma única justificação para a sua existência. Este Remake inclui o jogo principal bem como a expansão Left Behind, ficando apenas de fora o modo Fações, que muitos lamentam não estar incluído. Certamente que se entendem as dúvidas desta terceira visita, mas enquanto não se vislumbra um terceiro capítulo da série a produtora consegue atualizar esta obra prima, entrega uma versão adaptada e atualizada para a atual geração de consolas da Sony, passando a PlayStation 5 a possuir no seu catálogo dois dos melhores jogos já feitos, com a devida e merecedora qualidade visual.

Também é de entender que foi lançado originalmente em 2013, quando muitos dos jogadores, agora adultos, ainda não tinham idade suficiente para o jogar, sendo este o momento certo de o fazerem. Igualmente, não esquecer que será posteriormente entregue no PC, onde chegará como deve de ser, tecnicamente avançado e capaz de uma entrada em grande nessa plataforma, tudo graças ao hardware da atualidade. Será assim apetecível e irresistível para qualquer amante de um drama emocional arrebatador.

"a produtora consegue atualizar esta obra prima, entrega uma versão adaptada e atualizada para a atual geração de consolas da Sony"

Realmente, este meu regresso é um tanto sentimental. Mesmo tendo acabado o jogo umas 10 vezes, somando o original com o Remaster, este consegue sempre atingir o meu núcleo sentimental. É de facto uma obra que jamais irei esquecer. Cada cena foi trabalhada ao pormenor, desde os diálogos com as falas nos sítios certos e a transmissão das emoções dos personagens a fazer-se de uma forma tão credível que por momentos sentimos que somos nós a viver todas aquelas angústias.

Observar o crescimento dos personagens, as ligações que vão estabelecendo, as súbitas alterações de direção, são exemplos de como Naughty Dog conseguiu algo tão precioso que não se encontra noutro lugar. Obviamente que o centro é a jornada de Joel e Ellie, sendo esta ligação executada com uma mestria exemplar, não existem momentos injustificáveis, tudo conta para a evolução da relação, seja nos recuos e nos avanços. As emoções estão sempre presentes, e com este Remake a transmissão para o jogador chega a um patamar apenas equiparável a TLOU Parte 2.

Analisando o que foi feito em termos visuais, esperava mais para ser sincero. Não é que não seja estrondoso nesse campo, mas depois de se observar o que foi feito em TLOU Parte 2 para a PlayStation 4, o salto poderia e deveria ser bem maior. Em muitos momentos os dois jogos são quase idênticos, apenas se consegue encontrar melhorias em Parte 1 quando observamos os personagens com maior cuidado, principalmente nas cutscenes. Existe sim superior qualidade visual em comparação com Parte 2, mas fiquei com a sensação de que foi guardado algum do poder da PlayStation 5 para um futuro terceiro jogo da série.

Para introduzir maior imersão, foram adicionadas todas as capacidades do comando da PlayStation 5, o DualSense. Estas assentam como uma luva num jogo deste género, cada ação nossa é agora sentida como nunca. As funcionalidades hápticas são impressionantes, podemos até configurar os níveis de feedback para múltiplas ações, sendo até exequível ativar vibração quando os personagens falam, onde a intensidade varia conforme o tom usado pelos personagens para falar, permitindo ao jogador sentir a forma como o diálogo é dito.

"é exequível ativar vibração quando os personagens falam.... permitindo ao jogador sentir a forma como o diálogo é dito"

Outro melhoria sentida é a nível sonoro, com o som 3D da PlayStation 5 a evidenciar-se em toda a linha. Conseguimos agora "sentir" pormenorizadamente cada som e com um detalhe que impressiona. É um salto evidente quando comparado com o Remaster, contribuindo para elevar a imersão e impulsionar toda a cena. Consegue-se agora seguir com detalhe e exatidão um inimigo a flanquear sem usarmos o modo de Escuta.

É um dado adquirido que se não fosse a PS5 nada do que é apresentado seria possível. Além dos feitos em termos visuais, temos também a adição de muitos outros pormenores que neste momento são dados como adquiridos na atual geração, como por exemplo o nível de destruição em todo o cenário. Em certos embates temos vários objetos a reagir a impactos, sejam vidros a partir, pedaços de cimento a desfazer-se com o impacto das balas, e até efeitos volumétricos de alta qualidade. De salientar que os tempos de carregamento são agora muito mais rápidos, embora não sejam instantâneos. Tudo em conjunto, aliado a uma narrativa credível e impactante, está criado um videojogo que mais parece um filme.

Obviamente que muito do polimento é transportado de TLOU Parte 2, com muitas semelhanças em vários aspetos, tanto de gameplay como visuais. A jogabilidade é mais satisfatória agora, as transições de cutscenes para gameplay são mais suaves e muitas vezes até instantâneas, sem que haja perda de imersão. Há um refinamento de todo o gameplay, aperfeiçoado e obviamente transportado do trabalho já referido. Os menus são também uma herança de TLOU Parte 2, possuem o mesmo design refinado. É de facto a versão derradeira e definitiva.

"não é um novo videojogo, muitos já o jogaram, até em duas versões distintas"

Este não é um novo videojogo, muitos já o jogaram, até em duas versões distintas. É a terceira incursão pelo mesmo título e direcionado para os verdadeiros fãs, ou quem aprecia uma obra completamente refinada, entregue da forma como os seus criadores a imaginaram, graças a todas as capacidades do hardware da PlayStation 5. Para os que só agora descobrem esta fantástica obra da Naughty Dog, é uma delícia, recebem-na da melhor forma e entram numa narrativa repleta de emoções que agora são catapultadas pela consola mais poderosa da Sony. Futuramente teremos a versão PC, e estaremos aqui para averiguar quais as melhorias que o hardware quase ilimitado dessa plataforma consegue trazer a esta obra já de si soberba.

Para culminar este meu regresso ao videojogo que mais gostei em todo o historial da PlayStation, terei que chegar a um veredicto, ao qual não foi fácil. A indecisão esteve sempre presente durante esta nova viagem, que me fez regressar e sentir como nunca os sentimentos transmitidos pelas personagens trabalhadas a rigor pelos programadores. Confesso que me emocionei em momentos já conhecidos, de tão boa que é esta adaptação, em criar realismo nas expressões faciais e nunca os diálogos estiveram em tão boa sintonia com as emoções apresentadas. É um marco importante e só espero que a terceira incursão esteja a caminho. É um Recomendado sólido que apenas não é elevado ao patamar superior devido a pormenores, como a ausência do modo Fações e não superar TLOU Parte 2 em termos visuais, estava à espera de um salto muito mais evidente, talvez em TLOU Parte 3?

Prós: Contras:
  • Visualmente muito superior ao Remaster
  • Polimento de toda a jogabilidade
  • PS5 permite elevar a fasquia no que toca às expressões faciais dos personagens
  • Drama narrativo impulsionado
  • O DualSense e áudio 3D tornam toda a experiência mais viva
  • Não existe um grande salto visual em comparação com TLOU Parte 2
  • Quem jogou as duas versões anteriores não tem aqui novidades
  • Ausência do modo Fações
  • Alguns pequenos bugs

Descobre como realizamos as nossas análises, lendo a nossa política de análises.

Sobre o Autor

Adolfo Soares avatar

Adolfo Soares

Director

É o nosso homem do PC, por isso qualquer coisa é com ele. É também responsável pelo Eurogamer, bem como dá uma perna nas notícias.

Comentários

More Análises

Artigos mais recentes