Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

The Boys: Diabólico é chocante, violenta e ficamos a pedir mais

Mais uma animação original da Amazon que merece imensos elogios.

A série live-action The Boys da Amazon Prime Video tornou-se num fenómeno da cultura pop com todo o mérito. É uma série que apresenta um olhar perturbador, violento e chocante a grupos de super-heróis como a Liga da Justiça ou Vingadores. Em total discordância com o eterno juramento da DC e Marvel em manter estes super-heróis como representantes de tudo o que é virtuoso e justo, The Boys mostra o lado negro de quem decide usar esses poderes para benefício próprio. Mais ainda, este universo mostra o perigo de envolver no combate ao super-crime companhias poderosas num mundo capitalista.

Desde a chegada de The Boys, já surgiram muitos trabalhos que abordam de forma mais sombria o conceito dourado do paladino da justiça que não sai da linha, mas a banda desenhada de 2006 continua a figurar como um dos primeiros grandes exemplos de alternativas rebeldes às duas maiores casas dos comics dos Estados Unidos. De certa forma, se olharmos para o que é feito no cinema e televisão, podemos dizer que a série live-action está a fazer o mesmo. Enquanto a DC e Marvel se desdobram em diversos esforços que não parecem querer sair do politicamente correto, com um ou outro exemplo mais arrojado, The Boys está num patamar só seu.

Super-heróis que agem sem medo das consequências, que não se importam de destruir tudo à sua volta ou sequer com a segurança de inocentes, porque servem uma companhia que lida com toda a burocracia, The Boys é uma série frenética e que conquista facilmente. Seja pela sua violência, momentos chocantes ou pelas alfinetadas que atira para contrapor o previsível sentido de justiça deste tipo de personagens, a série está repleta de personagens interessantes que aprofundam de forma curiosa os mais populares grupos através destes personagens.

No entanto, apesar de conheceres a série principal sobre as violentas sátiras a grupos de super-heróis das principais casas da BD norte americana, nada te preparou para Diabólico. Esta é uma série de 8 curtas animadas, com diversos estilos de animação, que além de expandir este universo, conquistam com todo o mérito o seu espaço e ainda nos deixam a desejar mais. Diabólico é tal como o nome indica, surreal e violenta, capaz de te deixar de boca aberta a pensar no que acabaste de ver e sempre curioso para ver a seguinte curta.

Cada episódio dura cerca de 14 minutos, ao todo são cerca de 112 minutos, o que faz com que seja extremamente fácil consumir The Boys: Diabólico sem dar pelo passar do tempo. Confesso que comecei com a postura de ver um episódio por dia, mas após o primeiro não consegui parar e quando dei por ela já tinha visto metade. Decidi ver tudo até ao fim e fiquei rendido. Existem diversos estilos de animação, desde uma curta com um bebé que recria o estilo dos Looney Tunes na perfeição, uma que parece recriar o estilo característico das animações da Cartoon Network, outros que apostam num estilo animações de sábado de manhã e ainda uma produção coreana de grande efeito artístico.

Todas elas extremamente violentas, repletas de momentos surpreendentes e fora da caixa, com as temáticas que viste na série live-action e parte da identidade do universo The Boys, desde consumo de drogas entre indivíduos com super poderes, mas com a maioria a expandir além do que viste na série principal. O episódio com a bebé e um casal idoso são dois exemplos de como The Boys: Diabólico pode mexer com os teus sentimentos, enquanto o episódio com o Homelander (Capitão Pátria, se preferires) e os Nubian explodem com qualquer tipo de expetativa.

Não posso deixar de referir o episódio com Billy Butcher, vindo diretamente da banda desenhada, mas não abordado na série principal e que é simplesmente sensacional para quem não conhece os eventos, enquanto o episódio em que crianças com poderes bizarros decidem vingar-se dos pais. É extremamente violento e a forma como o tom desenho animado de sábado de manhã é conciliado com tamanha violência é um inesperado triunfo. É complicado estar aqui a elogiar The Boys: Diabólico e a tentar convencer-te a ver sem falar em cenas específicas, mas acredita que se gostas da série principal, vais delirar com estas animações e o esforço aqui feito.

Diabólico é o universo The Boys de formas totalmente inesperadas e até surpreendentes, mas com a já esperada doce de violência, insanidade e capacidade de chocar que tanto adoras das bandas desenhadas ou da série live-action. Confesso que fiquei totalmente rendido e com vontade de ver mais pois algumas destas curtas são simplesmente sensacionais. Algumas conseguiam facilmente justificar um filme ou uma série completa, especialmente a última que está diretamente relacionada com as origens de Homelander. Após Invencível e A Lenda de Vox Machina, a Prime Video começa a cimentar a sua posição como a casa da animação para adultos.

Sobre o Autor

Bruno Galvão avatar

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Comentários