Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Tales of Monkey Island

Dave Grossman da Telltale Games, fala sobre o remake do jogo.

Quando a Telltale Games prometeu revelar um novo jogo em episódios na E3, poucos pensavam que seria Tales of Monkey Island - uma aventura dividida em cinco partes, baseada na serie da LucasArts. Também poucos pensavam que o primeiro episódio sairia tão cedo: 7 de Julho para PC e com a data para o WiiWare ainda por revelar. Dado o historial da Telltale - Sam and Max, Strong Bad's Cool Game for Attractive People, Wallace and Gromit - não devíamos ficar surpreendidos, e devíamos ter boas expectativas.

Mas, o director de design de Tales of Monkey Island, Dave Grossman, admite, este IP vem com especial pressão: poucas licenças são tão acarinhadas. Então o que está a equipa a planear para Guybrush, Elaine e LeChuck? Como vão manter a magia original intacta? Encurralámos Grossman para descobrir.

Eurogamer Porquê Monkey Island, Dave? Tiveste, como membro da equipa original LucasArts, algo haver com isso?
Dave Grossman

Estranhamente não, não fiz mesmo força para isso. Senti que tive a minha oportunidade para cerrar os dentes em Monkey Island há muito tempo atrás, mas isso não era verdade para todos na companhia. Muitos sentiram que não tinham terminado e podíamos fazer mais com ele.

É na verdade algo que temos estado a falar com a LucasArts praticamente desde que a companhia existe. Agora é apenas a altura apropriada; as pessoas certas estavam interessadas ao mesmo tempo e em ambos os lados.

Eurogamer A LucasArts esteve a ser manhosa e a relaxar, à espera que vocês provassem o que valem antes de atingir o pato dourado?
E o que é que fazes pela vida?
Dave Grossman Suponho que isso pode ser verdade, mas também tenho que dar a Darrell Rodriguez - o novo presidente [na LucasArts] - algum crédito; penso que ele tem sido um campeão pessoal para estas licenças de pequenos jogos de aventura. Não é só o Monkey Island que estão a fazer: estão na verdade a fazer algo com o velho jogo de Indiana Jones também. Lançaram-no como bónus para desbloquear [Indiana Jones and the Staff of Kings].
Eurogamer Anos mais tarde, existem muitas pessoas que não jogaram Monkey Island. Podes tu, Dave Grossman, explicar a magia?
Dave Grossman

Bem, Monkey Island é uma encantadora e muita engraçada série de jogos sobre ser um pirata. Resumidamente, é isso. De que mais realmente precisas?

A inspiração foi a viagem Piratas das Caraíbas na Disneylândia. Ron Gilbert pensou, "Como seria sair dessa viagem e conhecer os personagens que estavam naquelas recriações?" Começou por aí.

Momento a momento a série é muito divertida, mas as histórias principais são geralmente muito sérias. The Secret of Monkey Island é sobre um jovem rapaz a tentar alcançar o sonho da sua vida e encontrar o amor pelo caminho. Não há nada de engraçado nisso. E eu penso que essas duas coisas - histórias abrangentes sérias e humor momento a momento - combinaram para criar algo verdadeiramente especial.

Eurogamer Falou aí em Ron Gilbert que, juntamente com Tim Schafer, teve um papel importante na série Monkey Island. O que disseram sobre Tales of Monkey Island? Estão a ajudar?
O corte de cabelo banana está de volta.
Dave Grossman

O Ron ajudou. Assim que tive permissão para contar a alguém telefonei ao Ron, porque sei que a série significa muito para ele, e ele foi a força orientadora original por detrás dos primeiros jogos. Ele olhou em volta e disse, "Posso ir aí e partilhar ideias contigo?" E eu fui tipo, "Fantástico! É absolutamente a melhor coisa que podias fazer."

Por isso ele apareceu e passou grande parte da semana connosco, apenas a partilhar ideias. Trabalhámos a história principal a partir dele; ele tinha alguns comentários sobre como estávamos a lidar com a Elaine no nosso primeiro esboço e isso levou-nos a fazer algumas mudanças; e provavelmente algumas das falas dele estão ali também. Ele teve que voltar ao seu trabalho normal como director criativo na Hothead onde está a fazer o seu jogo Deathspank, que também está com um aspecto muito porreiro. Mas ele teve a oportunidade de dar a sua opinião.

Não cheguei a chamar o Tim porque envolver o Ron acabou por dar muito trabalho - muita discussão legal em torno disso. Eu pensei, se apenas posso envolver um deles, então vai ser o Ron.

Eurogamer Discussão legal?
Dave Grossman

Bem, ele trabalha a tempo inteiro noutro estúdio, por isso existem muitos bocados e peças em tomar o seu cérebro emprestado. E estivemos sempre a tentar manter segredo sobretudo para podermos surgir com um anúncio surpresa quando o jogo estivesse pronto.

Sobre o Autor

Jorge Soares avatar

Jorge Soares

EG.pt Master of Puppets

Sempre ocupado e cheio de trabalho, é ele quem comanda e gere a Eurogamer Portugal. Queixa-se que raramente arranja tempo para jogar, mas quando está mesmo interessado num jogo, lá consegue arranjar uns minutos. Tem mau perder e arranja sempre alguma desculpa para a sua derrota, mas no fundo, é o que todos fazemos.

Comentários

More Entrevistas

Artigos mais recentes