Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Tabata não quer que Final Fantasy seja uma série entregue à nostalgia

Quer introduzir conceitos inovadores e seguir em frente.

Em entrevista com o VG247, Hajime Tabata, director de Final Fantasy XV, falou sobre o conturbado desenvolvimento do jogo, sobre o adiamento, sobre algumas decisões difíceis, e ainda sobre como espera preparar a série para o futuro, de forma a não tornar-se numa relíquia nostálgica.

Questionado sobre se sentiu alguma frustração quando lhe entregaram um projecto já existente e antigo, e como foi gerir toda a reestruturação de Final Fantasy Versus XIII para Final Fantasy XV, Tabata confessou que teve que seguir os seus gostos e as suas prioridades.

"Algumas coisas...tento sempre levar as coisas para um nível com o qual estou confortável e com elas e colocaria no jogo final. Existiam coisas em que se não o conseguia, cortava," disse Tabata.

"Senti mesmo dentro das minhas preferências pessoais e prioridades que ao invés de ter algo que já foi anunciado e num estado incompleto que não conseguíamos terminar, não conseguíamos criar um produto final - era muito mais importante do que isso, ter um jogo terminado, divertido, que as pessoas podem jogar e gostar. Tornou-se uma escolha entre isso, não tive dúvidas que teríamos de cortar coisas para servir os propósitos do jogo."

No entanto, Tabata diz que sempre que o fazia era criticado e que as reacções eram fortes e muito negativas. O director diz ainda ter sentido dificuldades em descobrir se as críticas vêm de um fã da série ou apenas um fã deste jogo em específico, ou então se são pessoas que apenas querem dizer coisas más.

"Não levei com muitas das críticas, mas algumas pessoas à minha volta ficaram muito chocadas com isso e não gostaram nada da reacção que tiveram. Sinto que causei problemas a algumas pessoas - tenho pena que tivessem de aturar isso."

Tabata expressou ainda o seu desejo em mudar a série, se for para melhor, e que não deve ficar presa ao passado só porque sim, utilizando o sistema de combate por turnos como um exemplo.

"Sinto mesmo que não é o que Final Fantasy deve ser, uma série que apenas apresenta memórias nostálgicas às pessoas. Não deveria ser isso."

Sobre o Autor

Bruno Galvão avatar

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Comentários