Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Subscrições impulsionam mercado dos videojogos para novos recordes

Game Pass, Switch Online e PlayStation Plus.

Muito se tem debatido sobre os serviços por subscrição, tanto no mundo dos videojogos como noutros meios do entretenimento.

Nos filmes e séries temos por exemplo serviços como o Netflix, Disney+, HBO Max, Amazon Prime Video, e outros tantos. O mesmo acontece na indústria dos videojogos, com o Game Pass da Microsoft, Switch Online da Nintendo e o PlayStation Plus da Sony, que catapultam o meio para patamares nunca antes alcançados.

Certo e sabido que a iniciativa da Microsoft com o seu agressivo Xbox Game Pass, que foi evoluindo ao longo dos anos, obrigou a competição a tomar medidas e a desdobrar-se para melhorar a sua oferta.

Recentemente a Sony revolucionou o seu PlayStation Plus, passando este agora a sustentar três patamares, Essential, Extra e Premium, todos eles com benefícios distintos.

Mas vamos aos dados divulgados pela DFC Intelligence, obrigado aos nossos amigos do Gamesindustry. A DFC prevê que em 2022 o mercado de software para consolas e PC atinja valores nunca antes alcançados, batendo todos os recordes, sendo impulsionado pelo crescimento dos serviços de subscrição.

A análise de mercado feita pela DFC aponta para que o software nas consolas e PC atinja os 72 mil milhões de dólares, mais 5% do que no ano anterior, que também já tinha sido um recorde.

"Um dos principais motores deste crescimento não são os novos lançamentos, mas o aumento da utilização dos serviços por subscrição da Microsoft, Sony, Nintendo, e outros".

"Espera-se que o negócio dos jogos para consolas receba um terço das receitas de software/serviços da Microsoft, Sony e Nintendo pelos seus serviços de subscrição de videojogos, Game Pass, Switch Online, e a recentemente renovada PlayStation Plus".

"Mesmo com o aumento dos preços e a possibilidade de recessão, a indústria dos videojogos deve continuar a crescer".

Nas suas previsões, a DFC ainda refere que mesmo com escassez de hardware e os efeitos da pandemia, ainda estão otimistas no que diz respeito à indústria de videojogos para consolas e PC.

Sobre o Autor

Adolfo Soares avatar

Adolfo Soares

Director

É o nosso homem do PC, por isso qualquer coisa é com ele. É também responsável pelo Eurogamer, bem como dá uma perna nas notícias.

Comentários