Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Star Wars Jedi Survivor - A força está intensa aqui

Jogámos quase 4 horas e queríamos mais.

Jedi Fallen Order serviu como prova para várias coisas. Em primeiro, que há um interesse genuíno dos fãs em experiências single-player do universo Star Wars, contrariamente ao que a EA acreditava previamente. Em segundo, que a Respawn tem um enorme talento para jogos narrativos de ação e aventura, apesar do seu pedigree associado a jogos de tiros na primeira pessoa (os fundadores do estúdio criaram Call of Duty e depois Titanfall). E por último, que os videojogos são um óptimo meio para explorar novas histórias dentro do universo Star Wars.

Se adoraste o primeiro, trago notícias entusiasmantes de Los Angeles. A sequela promete ser ainda melhor. Digo-o com base naquilo que experimentei recentemente. Tive acesso ao jogo durante cerca de 3h30m. Durante este período, pude experimentar sem barreiras o planeta de Koboth. Foi-me dito que esta secção do jogo decorre cerca de 1 hora após o início do jogo. Cronologicamente, sabemos que a sequela decorre 5 anos após os eventos do primeiro jogo, portanto, muito aconteceu entretanto

Mais opções de combate

Além de dar continuidade à história de Cal Kestis, Jedi Survivor procura expandir a fantasia de controlar um lightsaber. Nesse sentido, a sequela tem três novas opções de estilo de combate. Recordo que no primeiro jogo tinhas apenas o estilo padrão (com um lightsaber) e o estilo com dois feixes de luz (tipo Darth Maul). Em Jedi Survivor podes ter três estilos adicionais: dual lightsaber, crossguard, e por último, ter um lightsaber numa mão e um blaster (pistola) na outra.

Na versão a que tivemos acesso, apenas estavam disponíveis três estilos, sendo que dois já conhecíamos do jogo anterior. O crossguard, que é um lightsaber igual ao de Kylo Ren, e o estilo que combina um lightsaber com pistola, não estavam desbloqueados. Contudo, pudemos averiguar que cada estilo tem a sua própria árvore de habilidades. A cada momento, podes ter dois estilos equipados e alternar rapidamente entre eles no D-Pad. Se quiseres trocar um desses dois estilos por outro, terás que visitar um ponto de meditação.

Agora podes usar dois lightsabers em combate,

Sentes-te realmente na pele de um jedi

O combate de Jedi Fallen Order já era a melhor recriação num videojogo daquilo que vemos nos filmes e desenhos animados. Como seria de esperar de uma sequela, Jedi Survivor vai mais longe. O combate está mais refinado e logo à partida tens mais opções (faz sentido, visto que neste jogo Cal Kestis já não é um aprendiz). O parry, que no jogo anterior requeria um timming preciso, está ligeiramente mais permissivo, pelo menos na dificuldade intermédia. Quem quiser um desafio maior, tem logo de início duas dificuldades superiores.

A satisfação de dar uns golpes de lightsaber e usar a força não tem igual. Os inimigos mais fracos, como os stormtrooper básicos, são carne para canhão. Podemos usar a força para puxar os adversários na nossa direção e desferir um golpe mortal com o lightsaber. Ou também podemos usar a força para repelir, atirando os inimigos de precipícios ou contra obstáculos mortais. Nem todos os inimigos são tão vulneráveis. Em alguns, a força não é tão eficaz e tens que quebrar a sua guarda (dá para ver um barra em cima da sua vida).

Um dos novos poderes de Cal envolve simpatizar com várias criaturas. Podes depois usar essas criaturas como meio de transporte.

Alguns elementos soulslike continuam presentes. Quando fazes meditação, todos os inimigos derrotados voltam a reaparecer. Quando morres, perdes toda a experiência acumulada. Podes recuperá-la derrotando o inimigo que te derrotou, mas caso morras uma segunda vez, a experiência fica completamente perdida. O BD-1 continua a prestar assistência em combatem, atirando frascos de vida. Desta vez, tem uma habilidade extra: pode deixar os inimigos temporariamente confusos.

As áreas de exploração prometem ser maiores

A abordagem da Respawn para Jedi Survivor foi aumentar a escala do jogo, tanto nas áreas que podes explorar, como na longevidade. Se o planeta de Koboth serve de amostra (o planeta desta demo), então podemos dizer que a escala aumentou consideravelmente. O planeta é gigantesco, sem cortes pelo meio (a não ser para cinemáticas). Há partes que afunilam, tornando a exploração mais retilínea, mas também há grandes espaços abertos onde podes escolher vários caminhos. Dado o tempo limitado, tentei desbravar a história o máximo que consegui, mas ainda arranjei tempo para explorar áreas opcionais.

Explorar compensa com itens cosméticos e upgrades para a saúde.

Acabei por defrontar um rancor, que provou ser uma das coisas mais desafiantes da demo. Depois de algumas tentativas, acabei por desistir para não perder tempo. Como o jogo permite viagens rápidas entre os pontos de meditação, acabei por voltar lá um pouco mais tarde, depois de ter desbloqueado novas habilidades para Cal. Foi mais fácil da segunda vez. Também descobri um templo Jedi, que não envolvia qualquer tipo de combate, mas puzzles que requeriam a força para serem resolvidos (envolvia transportar umas esferas de um lado para o outro).

A exploração em Jedi Survivor é recompensada com novas opções de personalização tanto para Cal e o seu lightsaber, como para BD-1. As opções de personalização na sequela são mais vastas. Apenas nesta pequena demo era possível desbloquear novos estilos de cabelo, barba, e roupas para Cal, alterando consideravelmente o seu aspeto. Não podes criar um Jedi, mas podes certamente deixar Cal ao teu gosto.

A história é entusiasmante, mas...

Não posso dizer muito. A maioria dos detalhes da história estão embargados pela Electronic Arts. É compreensível, querem deixar que os fãs descubram as surpresas por eles mesmos a 28 de Abril, que é quando Jedi Survivor será lançado. Posso dizer que Cal e BD-1 se despenham em Koboth e, na procura por peças de substituição para a Mantis, acabam por encontrar Greez. Mais adiante, há uma enorme reviravolta que provavelmente vai moldar os eventos do jogo inteiro, mas nosso posso dizer o que é.

Se gostaste do primeiro Jedi Fallen Order, a sequela promete fazer-te delirar. Como fã de Star Wars, as quase 4 horas da demo passaram a correr e, se me deixassem, trazia o jogo comigo. Em grande parte, é um jogo familiar, mas com melhorias naquilo que havia para melhorar. Novas opções de combate, uma árvore de habilidades mais completa, jogabilidade com melhor sensação, planetas com mais exploração, e mais personalização em tudo. E claro, é a continuação da história de Cal Kestis. Estamos todos em pulgas para saber qual é o seu destino.

Sobre o Autor
Jorge Loureiro avatar

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Comentários