Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Star Wars 1313 - Antevisão

Bem vindos ao 1313º nível do inferno.

Um dos títulos mais surpreendentes mostrados na E3 foi Star Wars 1313, principalmente porque ninguém estava à espera de um novo jogo da série ser apresentado. Em produção nos estúdios da Lucas Arts, e distribuído pela Activision, Star Wars 1313 é um jogo bem diferente do que estávamos à espera dentro do universo Star Wars. O ambiente é muito mais negro, e não há cá super poderes e coisas desse género.

Mas antes que tudo, o jogo foi revelado num misto de plataforma híbrida. Ou seja, não sabemos qual será o resultado final quando sair para a Xbox 360, PS3 e PC, plataformas para já confirmadas. O certo é que o Star Wars 1313 na sua versão atual não é um jogo da geração atual de consolas. Aliás, o jogo foi mostrado em parceria com a Nvidia, principalmente para demonstrar o que as novas placas e sistemas da marca conseguem fazer.

Por todo este aparato visual, que rapidamente poderão confirmar no vídeo em baixo, com parte de gameplay, dificilmente atingirá esta qualidade nas consolas atuais, remetendo para o PC, ou consolas de nova geração o lançamento a este nível. Star Wars 1313 poderá ser um dos primeiros jogos de nova geração, havendo rumores de que será lançado na atual e nas próximas consolas da Microsoft e Sony.

Os estúdios de cinema da Lucas Arts estão sempre conotados com os efeitos especiais, a sonoplastia, e toda uma nova forma de representação. Star Wars 1313 está a ser produzido como se fosse um filme, tal são os estúdios da companhia envolvidos. Temos o pessoal dos efeitos especiais do Industrial Light & Magic, o LucasFilm Animation e ainda o Skywalker Sound. Na base de tudo isto roda o Unreal Engine da Epic, mas com imensas melhorias pelo meio.

"Star Wars 1313 é o melhor jogo já visto em termos de qualidade gráfica a correr em tempo real."

Star Wars 1313 coloca-nos na pele de um Bounty Hunter, sem qualquer tipo de poderes sobrenaturais. Aqui não existem Jedis, ou até mesmo a Força. O jogo foca-se em personagens mais reais, de certa forma mais frágeis e sujeitas aos perigos. Devido à ausência desta elemento de fantasia, embora ela existe no próprio universo Star Wars, a jogabilidade sobre algumas alterações. Os elementos mais usados pelas personagens serão gadgets e diversos tipos de armas. Não temos a Força? Porque não usar uma arma que projeta os nossos inimigos pelo ar com uma onda de choque? Parece uma contradição, pois o efeito poderá ser praticamente o mesmo, sendo aqui a maquinaria a substituir a Força.

1313 é o número do piso a nível subterrâneo do planeta Coruscant. É uma enorme metrópole e a mais perigosa do Império. É o local para onde vão os piores criminosos, é no fundo o local para a escumalha. Não é certamente um local para ir de férias, e o nosso Bounty Hunter apenas chega ao local devido a um pequeno acidente, reportado no trailer.

A ideia por detrás do 1313º é a pressão que provoca no jogador, ou assim espera o estúdio. Quanto mais descemos mais fica escuro, o Sol deixa de ter efeito e é quase que uma jornada ao estilo de Dante e nas suas diversas camadas. A cidade terá diversos locais, sendo um que se poderá parecer com a Strip de Las Vegas, mas num formato bastante mais alargado.

Esta escuridão não está apenas no aspeto físico da cidade e zonas a percorrer. O jogo pretende atrair uma audiência adulta, retratando situações dúbias na sociedade, não havendo o certo e errado de forma clara, tudo está na zona mais cinzenta. Em termos de jogablidade poderemos esperar um misto de jogo de ação e plataformas. O jogo rapidamente faz lembrar um Uncharted misturado com Mass Effect. A forma como a personagem corre e reage por exemplo nas escaladas, tudo faz lembrar o jogo da Naughty Dog. Temos um sistema de cobertura dinâmico, que se adapta ao contexto, bem como lutas corpo a corpo, com a ajuda de outros parceiros.

Devido a estar ainda em pré-produção as personagens principais poderão ainda mudar um pouco, nada é final. A demo foi patrocinada pela Nvidia, e que fez questão de colocar o número de frame-rate das cenas na TV. Apesar de todo o aparato visual, explosões, e fantástico som, tudo estava a correr em tempo real, o jogo mantinha os 33,22 frames de forma fixa, aumentando nas pequenas cut-scenes de transição do gameplay.

O movimento das personagens foi todo feito por captação de movimentos de todo o corpo, incluindo a cabeça e a voz. Esta opção é mais custosa, mas fornece um enorme salto para os atores poderem fazer o seu trabalho e ser transportado para o jogo. Separar o corpo da cabeça, visto na maioria dos jogos, torna as cenas menos reais, mais bruscas em termos de reações e comportamentos.

Elementos como tecido, pele, movimento dos olhos, da boca, os materiais recriados, tudo está num pormenor fantástico. Star Wars 1313 é o melhor jogo já visto em termos de qualidade gráfica a correr em tempo real. Não é um protótipo, temos aqui um jogo que já tem uma jogabilidade sólida, que funciona e com elementos cinematográficos fantásticos.

Por outro lado, retirando todo o aspeto visual conseguido, não há nada de verdadeiramente novo dentro do género. É claro que ainda não conhecemos o enredo, e poderá ser aí onde residirá a diferença em relação a outros jogos. Mas se na verdade estamos perante a nova geração, e se este é ainda o início, então queremos que venha já a correr.

Star Wars 1313 não tem para já data de lançamento, sendo esperado para o ano 2013.

Sobre o Autor

Jorge Soares avatar

Jorge Soares

EG.pt Master of Puppets

Sempre ocupado e cheio de trabalho, é ele quem comanda e gere a Eurogamer Portugal. Queixa-se que raramente arranja tempo para jogar, mas quando está mesmo interessado num jogo, lá consegue arranjar uns minutos. Tem mau perder e arranja sempre alguma desculpa para a sua derrota, mas no fundo, é o que todos fazemos.

Comentários