Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Souldiers - Pequena equipa espanhola fez algo digno de elogios

Metroidvania exigente e divertido.
Eurogamer.pt - Recomendado crachá
Metroidvania exigente, bonito, divertido e para o qual precisas de um pouco de paciência.

Vivemos no que pode ser considerada como uma era de ouro para os indies, um momento na indústria em que estas experiências continuam a surpreender e a preencher os nossos dias. Souldiers da Retro Forge Games, pequeno estúdio espanhol com apenas 6 pessoas, é um dos mais recentes exemplos disso. É um testemunho de como as experiências indie, nas quais os que sonham em criar jogos exploram as ideias com as quais os mestres maravilharam o mundo ao longo de décadas, podem criar híbridos cujo gameplay desperta genuíno interesse.

Digo genuíno interesse porque atualmente é fácil olhar para o um jogo e experimentá-lo porque sim, para saciar esta paixão pelos videojogos que nos faz querer estar sempre a jogar algo, sempre à procura de qualquer coisa nova, mesmo que isso até signifique banalizar lançamentos e o dinheiro que nos custa tanto a ganhar. Por vezes, o vício de jogar ou a tentativa de escapar ao mundo real significa, para muitos, a busca constante por um novo jogo, uma nova emoção, o que pode dispersar o foco e olhar para tudo sem prestar atenção a nada. Souldiers é daqueles jogos que capta a atenção, cuja premissa aguça de imediato a curiosidade.

Será precisa alguma paciência para passar tempo a ver o mapa, tentar descobrir para onde ir e onde estão possíveis locais aos quais agora podes aceder, mas é esse exigir de atenção que o torna interessante.

Isto proque Souldiers é um metroidvania misturado com jogo de ação e aventura com toques da experiência Souls da From Software, um híbrido intrigante. O jogo transporta-te para Terragaya, um local que vai apaixonar os amantes do combate e exploração que vibraram com RPGs de outras décadas. No entanto, apesar da estética pixel arte e da experiência homenagear clássicos da década de 80 e 90, existem mecânicas e conceitos que o tornam atual.

A exploração metroidvania, os locais pixel art deslumbrantes, o design de níveis com plataformas que exigem precisão e os bosses que requerem destreza num tom soulslike, resulta numa combinação inesperadamente divertida. Existem até pequenos puzzles para resolver e não apenas saltitar pelos níveis a enfrentar alguns inimigos, a escapar a outros para tentar sobreviver e não perder a XP. Isto porque subir de nível melhora os atributos do personagem e ficas mais forte, essencial para os bosses, mas subir de nível exige tempo e a exploração demasiada atenção, o que poderá tornar Souldiers numa experiência que exige a máxima atenção.

Souldiers não é um jogo para esta era "chiclete nos videojogos", na qual ainda nem começaste um jogo e já estás ansioso para o acabar porque a seguir está outro à espera. O trabalho desta equipa espanhola é para quem respeita os videojogos e lhes quer dedicar tempo, tratando-os com respeito, com a devida atenção. O design de níveis exige coordenação de movimentos para escapar a alguns inimigos, tens de investir tempo para subir de nível e não existem setas néon a indicar os segredos. Terás de olhar frequentemente para o mapa para tentar avistar possíveis pontos que podes destruir e obter itens, sem esquecer que passarás muito tempo a olhar para o mapa a tentar descobrir para onde ir.

A sua estética é um encanto para os adeptos dos metroidvania da década de 90.

A premissa básica dos metroidvania está aqui, aquela estrutura de seguir até não existir mais caminho, o que te força a explorar para encontrar algo que te permitirá aceder a mais locais na masmorra, seja arma ou item. Souldiers combina isso com o tom soulslike nos combates e subida de níveis. Demora a subir de nível e as melhorias na personagem são míseras, os bosses são difíceis e sentirás muita amargura, mas se dedicares a tua paciência e tempo descobrirás locais mágicos e diversão.

Souldiers tem pequenas falhas no design que podem tirar algum do impacto, sem esquecer que é mesmo precisa paciência para explorar e navegar por alguns locais, algo que nos dias de hoje poderá ser arriscado. No entanto, se queres uma experiência metroidvania de tom nostálgico, mas que consegue apresentar boas ideias e algumas delas atuais, poderás ficar surpreendido tal como eu fiquei com Souldiers.

Prós: Contras:
  • Estética 16-bit que agrada à vista
  • Experiência Metroidvania exigente que pede atenção
  • Gameplay permite decidir se queres atacar ou escapar ao confronto
  • Boss fights intensas que vão testar os teus reflexos vezes sem conta
  • Inspirações nos maiores clássicos a incentivar diversos desafios
  • O design de alguns níveis não é intuitivo
  • A elevada dificuldade poderá afastar alguns
  • Exige um pouco de paciência para descobrir onde ir

Descobre como realizamos as nossas análises, lendo a nossa política de análises.

Sobre o Autor

Bruno Galvão avatar

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Comentários