Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Session Skate Sim: Não é para os fãs de Tony Hawk

O jogo de skate mais realista de sempre.

Como praticante de skateboarding, estou fascinado com esta terceira vinda de jogos. O primeiro boom do género deu-se com o lançamento de Tony Hawk's Pro Skater em 1999, a franquia que dominou os jogos de skate por vários anos consecutivos e alcançou uma vasta audiência, indo muito além dos praticantes do desporto.

Com Skate da EA, que chegou num momento em que a fórmula de Tony Hawk's Pro Skater estava cansada e desgasta, o género foi revitalizado. O modelo inventado pelo estúdio Black Box da EA estava no espectro oposto de Pro Skater, colocando de lado os enormes combos e focando-se muito mais no realismo através de controlos mais complexos.

Atualmente, estamos perante a terceira geração de jogos de skate. Apesar da EA já ter confirmado o regresso da Skate, se estás à procura de algo semelhante a escolha recai entre dois jogos: Skater XL e Session Skate Sim, cuja versão 1.0 foi lançada esta semana (o jogo estava em acesso antecipado).

O que é que Session Skate Sim traz de novo?

Realismo... mais realismo do que todos os outros jogos lançados até agora. Digo isto não apenas como praticante, mas depois de ter experimentado todos os Skate da EA e Skater XL. Session Skate Sim é a recriação mais realista de todas as físicas, movimentos, e pequenas variações que podes fazer em cima de uma tábua com quatro rodas. Porém, é também o mais difícil de todos.

Os controlos não são muito diferentes do que tens nos outros títulos mencionados. Cada analógico controla um pé do skater e tens que os encaminhar em diferentes direcções para executar os truques. Para quem sabe andar de skate e sacar umas manobras básicas como Ollie, Kickflip, e Pop-Shuvit, os controlos tornam-se rapidamente intuitivos porque são uma imitação da realidade.

Sacar um truque difícil ou uma linha com múltiplas manobras dá uma enorme satisfação, mas não há como fugir ao facto de que é difícil. Há uma grande curva de aprendizagem e vais precisar de visitar o menu de definições para afinar todos os parâmetros existentes. Logo no início, o jogo pergunta-te se queres o modo fácil, normal ou difícil, mas nenhum deles me agradou completamente. A solução é ir às definições.

A quantidade de definições pode ser assustadora

Session Skate Sim foi claramente desenhado para os hardcores do skate. Podes ajustar praticamente tudo o que possas pensar e isso influenciará a jogabilidade. Até o tamanho da tábua e diâmetro das rodas têm influência na rotação, velocidade, e altura dos truques. No entanto, por mais definições que altere, não consigo ficar satisfeito com a direcção.

A direcção do skate é controlada nos gatilhos (carrega no L2 e vais para esquerda, carrega no R2 e vais para a direita). Os gatilhos do Dualsense são sensíveis à pressão, mas mesmo assim é difícil e irritante fazer pequenos ajustes na direcção. Ter precisão é crucial para fazer grinds e slides em diferentes obstáculos. Na maioria das vezes, sinto que estou a lutar contra o jogo para meter o skate na direcção que quero.

Apesar do jogo te permitir ajustar quase tudo nas definições, não te deixa fazer nenhuma alteração ao esquema de controlos. Aqui está um problema. Os analógicos são simplesmente melhores para controlar a direcção do skate, tal como acontece em Skate da EA e Skater XL (este último também utiliza ambos os analógicos para truques e prova que é possível ter a função de truques e direcção no mesmo sítio).

Como é difícil encaminhar o skate na direcção que desejas, o flow de Session Skate Sim é complicado de manter. Mesmo depois de estar completamente familiarizado com os controlos, esbarro-me regularmente contra objetos ou raspo em obstáculos, o que provoca uma queda imediata. Não ajuda que a versão PS5 (a única a que tivemos acesso) tenha ocasionais problemas de colisão.

Dito isto, procurei no Reddit e descobri que a versão de acesso antecipado chegou a ter a opção de controlar a direcção nos analógicos, mas a quantidade de truques disponíveis era reduzida. Se calhar preciso de me habituar ainda mais aos controlos. No vídeo de gameplay em cima podes ver claramente a dificuldade em abordar os obstáculos no ângulo apropriado.

Visita spots reais em Nova Iorque e São Francisco

Dando força à sua jogabilidade, física e animações realistas, Session Skate Sim reproduz digitalmente um grande leque de spots reais para andar de skate. Podes visitar vários sítios de Nova Iorque, São Francisco, e Philadelphia. Os adeptos de skate vão reconhecer imediatamente alguns destes sítios porque aparecem regularmente em vídeos de skaters profissionais.

Apesar do potencial de Session Skate Sim ser tremendo, esta versão 1.0 ainda mostra debilidades. A animação de dar com o pé para ganhar velocidade parece desajeitada. A personagem quando está fora do skate tem animações robóticas. Se reparares com atenção, o skate pode passar através de objetos, incluindo os pés da personagem. As cidades, apesar de uma recriação realista, não têm vida. Pessoalmente, não gosto da banda sonora, é demasiado aborrecida... prefiro as músicas de Skate da EA ou Skater XL.

O estúdio vai continuar a apoiar o jogo, mesmo depois da versão 1.0. No futuro, poderá mesmo converter-se no melhor jogo de skate de sempre. Para quem está interessado, sublinho a dificuldade associada. Session Skate Sim é, como o nome indica, um simulador (e muito bom nesse aspecto). Não esperes uma experiência arcade como Tony Hawk's Pro Skater.

Sobre o Autor

Jorge Loureiro avatar

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Comentários

More Artigos

Artigos mais recentes