Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Sackboy, uma grande aventura desvalorizada

O jogo chegou ao PC, mas novamente, não recebeu a atenção que merece.

A estratégia da PlayStation para disponibilizar o seu grande catálogo de jogos no PC continua adiante. No final de Outubro, assistimos a mais um lançamento: Sackboy, Uma Grande Aventura. O spinoff foi um dos jogos de lançamento da PlayStation 5 em Novembro de 2020 (e também teve direito a versão PS4), mas entre nomes mais sonantes como Spider-Man Miles Morales e Demon's Souls, foi um dos que recebeu menos amor por parte da audiência. Quase dois anos mais tarde, o mesmo aconteceu com a versão PC, que se tornou na pior estreia da PlayStation na plataforma.

Afinal, o que se passa? Será um problema do nome? LittleBigPlanet foi um tremendo sucesso quando chegou à PlayStation 3 e, a verdade, é que Sackboy é um nome menos disseminado; seria o mesmo trocar The Legend of Zelda por Link, por exemplo. Poderá ser que a falta de ferramentas criativas, factor pelo qual LittleBigPlanet se tornou conhecido? É difícil compreender. Instalei na semana passada a versão PC de Sackboy e já não me recordava do quão fantástico é.

Desenvolvido pela Sumo Digital, Sackboy: Uma Grande Aventura carrega o legado de LittleBigPlanet para um divertido jogo de plataformas que, quanto mais jogas, mais te surpreende. Os primeiros níveis são um tanto simples e básicos para servirem como tutorial e introdução à jogabilidade, mas depois a criatividade e level design brilhante começam a aparecer. Com uma banda sonora que apenas posso descrever como eletrizante, e com níveis musicais em que tudo se move ao som do ritmo, é impossível não ficar bem disposto depois de jogar Sackboy.

A versão PC deixa-te jogar em formato ultrawide.

Da interactividade com os níveis advém uma grande satisfação e curiosidade de explorar. Sackboy consegue fazer mais do que saltar, pode segurar-se a certas texturas e puxar elementos do cenário para obter recompensas extra ou descobrir colecionáveis. Esta faceta do jogo está aliada com a componente gráfica e estética. Todos os elementos do cenário são tão expressivos que te convidam, só de olhar, a ver o que acontece quando interages. Há balões que rebentam, porcas de parafusos que rodam, e plataformas que te impulsionam para ar.

Os níveis são uma explosão de cor e têm uma texturização quase palpável.

Em específico sobre a versão PC, tem as mesmas funcionalidades e extras que os outros ports da PlayStation. Há suporte nativo para o Dualsense e todas as suas características, bem como recursos específicos do PC como suporte para resoluções ultra-wide, framerates mais elevadas (até 120 FPS), diferentes soluções de anti-aliasing, e suporte para tecnologia como Nvidia DLSS. Testamos o jogo num monitor ultra-wide (3440 x 1440) e uma RTX 3070; a experiência foi bastante suave, sem soluços e com uma qualidade visual excelente.

Os acessórios de personalização são imensos.

O jogo também tem um modo cooperativo para quatro jogadores, que nas versões PlayStation não estava disponível no lançamento, e níveis cronometrados por tempo bastante desafiantes. Tal como já havia dito na review, este é "um sólido jogo de plataformas, com muitas surpresas, diversão e diferentes níveis". A chegada da versão PC veio alagar o leque de pessoas que o podem jogar. Se adoras jogos de plataforma, Sackboy: Uma Grande Aventura é um pequeno diamante escondido.

Sackboy está disponível para PC através do Steam e Epic Games Store por 59,99€.

Sobre o Autor

Jorge Loureiro avatar

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Comentários