Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Roller Champions - Diversão descomprimida sem profundidade e conteúdo

Passa-me a bola!
Acessível de forma instantânea graças a uma produção destinada à diversão descomprimida, que no final carece de profundidade e conteúdo.

A proliferação de títulos direcionados para uma abordagem desprovida de grandes imposições, onde a leveza, frescura e, sobretudo, o descomprimir de tensões, surge a uma celeridade que por vezes não se consegue acompanhar. São sistemáticas tentativas da parte de vários estúdios em conquistar o seu lugar, tentando suplantar o que está na moda e tornar-se no próximo grande sucesso instantâneo. Reunir em seu redor milhões de jogadores por todo o mundo é o objetivo a alcançar. Sucessos como os já verificados não são fáceis de atingir, mas isso não impede que as tentativas surjam em catadupa. É neste cenário que entra Roller Champions, uma aposta da Ubisoft, a cargo dos seus estúdios em Montreal. Estamos perante um trabalho que apregoa diversão e um espírito florescente, convidando a boas interações.

Temos então um trabalho que se desenrola em redor de um desporto fictício, embora o consigamos agarrar a outras formas encontradas na realidade. A Ubisoft Montreal pega em patins, arenas, cores vibrantes, juventude, e muita alegria em toda a apresentação. É na realidade uma idílica absorção de boas ondas, transmitidas diretamente para o jogador. Aqui temos como centro uma jogabilidade acentuada em disputas multijogador competitivas de 3x3, nas referidas arenas, na tentativa de se obter maior pontuação que a equipa adversária.

O jogador escolhe o seu patinador, personaliza a sua aparência física (não há muitas opções), e está pronto para entrar em ação. Logicamente que existe um tutorial para ensinar os movimentos mais básicos, como patinar e ganhar velocidade, passar a bola, marcar golos, e até como derrubar os adversários. Mas Roller Champions não se trata apenas de movimentos básicos, existem combos que podem ser muito eficazes para suplantar o adversário.

Em termos de regras, estas são simples. Existe uma bola que é colocada aleatoriamente na arena no início de cada ronda, temos de a apanhar e dar voltas à arena, passar por quatro portões que vão desbloquear a baliza, assim que isso acontece podemos marcar golo. Em complemento, podemos continuar a dar voltas e adicionar mais passagens pelos portões, num total de três voltas que perfaz a passagem por doze portões, se isso acontecer podemos marcar um golo que dá a pontuação máxima e ganhamos automaticamente a partida. Se em determinado momento perdemos a bola e um adversário toma a sua posse, temos de iniciar tudo de novo.

De salientar que a entreajuda entre os elementos da equipa é deveras importante, o trabalho em conjunto eleva fortemente a probabilidade de se atingir a vitória. Sempre que não temos a bola há que perseguir o adversário, derrubar os seus elementos a todo custo para evitar que consigam passar pelos portões quando estão em posse da bola. Quando temos a bola, é aqui que o trabalho de equipa é muitíssimo importante, além de passar pelos portões, há que ir passando a bola de jogador em jogador, para confundir o adversário, ganhar velocidade apoiando-nos uns nos outros e seguir em frente pelos portões até desbloquear a baliza, para um possível golo. Ao vencermos uma partida somos recompensados através de pontos de experiência, aqui chamados de Fãs, aplicados na respetiva Temporada, dentro do Roller Pass.

Em modos de jogos, não há muito aqui. Temos um Parque onde podem entrar até seis jogadores, podemos interagir e treinar os movimentos. De seguida temos as partidas Rápidas, ideais para embates mais descontraídos sem nos preocuparmos com as tabelas de pontuação. Para os mais competitivos temos as partidas Ranqueadas, estas possuem tabelas que dividem os jogadores segundo as suas prestações, aqui tudo conta para se ir subindo até ao topo. Também há a secção de eventos Surpresa, que se vão modificando.

No geral estamos perante um jogo bastante acessível, com regras simples e de fácil assimilação. Esta apresentação tem como fundamentos juntar uma comunidade de jogadores para se divertirem em partidas sobre patins em linha, onde todos estão em pé de igualdade. Querendo com isto dizer que tudo o que é personalizado é puramente estético. São personalizações que incidem na criação de tudo ao gosto de quem está a jogar, é uma absorção de conteúdos totalmente num patamar de cosméticos.

Como free to play, obviamente que Roller Champions apresenta microtransações a nível cosmético, como já referenciado. A sua economia gira em redor de créditos denominados por Wheels (Rodas), estas podem ser compradas na loja para depois as aplicarmos em itens vendidos na respetiva loja. Aqui também estão presentes as já tradicionais Temporadas, sendo já padrão a possibilidade de ganhar algumas recompensas de forma gratuita à medida que vamos evoluindo na referida temporada. Adicionalmente, temos um Passe de Temporada que desbloqueia mais recompensas, denominado por Roller Pass Premium.

Tanto a nível visual como sonoro, não ficarão muito surpreendidos com que nos é trazido. Visualmente é apelativo que baste, com formas muito coloridas e um ambiente muito jovem, apelando a esse público alvo. Em termos de performance é muito pouco exigente, como seria de esperar para abranger o máximo de jogadores possível. A sonoridade cumpre na perfeição, com sons condizentes e músicas que encaixam na atmosfera aqui criada. É um pacote muito aceitável em termos técnicos, transmitido com vivacidade e leveza.

Rematando agora à baliza, posso dizer que Roller Champions é bastante divertido, principalmente quando jogado com amigos num canal de chat por voz. É na interação com as pessoas que mais se consegue retirar desta aposta da Ubisoft Montreal, um trabalho que exige comunicação entre os jogadores para se atingir a vitória, mas, sobretudo, é o jogador que terá de criar muita da sua diversão com a ajuda de amigos para horas de diversão e gargalhadas. Retirando a componente social, rapidamente se torna aborrecido, sem muitos desafios para sustentar o nosso interesse.

Prós: Contras:
  • Acessível e muito fácil de jogar
  • Muito divertido com os amigos
  • Pouco exigente em hardware no PC
  • É free to play
  • Jogado sozinho facilmente se torna aborrecido
  • Sente-se a falta de conteúdo
  • Faltam mais modos de jogo
  • Aspeto visual pode ser demasiado infantil para alguns

Descobre como realizamos as nossas análises, lendo a nossa política de análises.

Sobre o Autor

Adolfo Soares avatar

Adolfo Soares

Director

É o nosso homem do PC, por isso qualquer coisa é com ele. É também responsável pelo Eurogamer, bem como dá uma perna nas notícias.

Comentários