Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Razer Kraken V3 Pro review - Ai que isto treme

Sente o som.
Eurogamer.pt - Recomendado crachá

O feedback háptico está na moda. Esta tecnologia ganhou destaque com a chegada da PlayStation 5 e do Dualsense, particularmente devido à implementação soberba em jogos como Astro's Playroom, mas agora também está a ser implementada em headphones. Será apenas uma gimmick, ou será que o feedback háptico em dispositivos de áudio faz a diferença? A Razer foi uma das primeiras marcas gaming a apostar em headsets vibratórios com o Razer Nari Ultimate, lançado para o mercado em 2018. Naquela altura, já tinha elogiado a integração do feedback háptico pelo maior nível de imersividade, mas por alguma razão, a Razer não voltou a renovar a linha até agora.

O dispositivo que estamos a analisar hoje, o Kraken V3 Pro, volta a trazer o feedback háptico. É um headset wireless, desenhado claramente para gaming, embora seja viável usá-lo fora de casa se tiveres alguma mochila para transportá-lo. Dentro da embalagem encontras uma Pen USB para funcionamento sem fios, compatível com PC e consolas PlayStation. Há também um cabo tradicional de 3.5 mm, compatível com smartphones, Nintendo Switch, e consolas Xbox. O motor háptico funciona e converte o som de música, filmes e jogos independentemente do tipo de ligação (por cabo ou sem fios), mas há uma evidente perda de qualidade e de potência na ligação de 3.5 mm. Assim sendo, apenas recomendamos este headset para jogadores que vão usá-lo primariamente no PC e/ou consolas PlayStation.

Feedback háptico, uma gimmick ou faz realmente diferença?

Faz diferença, mas teres vibração directamente na cabeça durante longos períodos de tempo também pode ser cansativo. A Razer pensou na questão, por isso podes controlar os níveis de feedback ou até desligar completamente a funcionalidade. Na maioria das vezes, utilizei o nível fraco e médio de feedback. Existe um nível superior, mas é um pouco exagerado e não tão natural. Teres o Razer Kraken V3 Pro na cabeça enquanto ouves música é como se estivesses num concerto, quando sentes a vibração do som vindo das colunas. A ver um filme é semelhante ao cinema. Quando estás a ver uma cena com explosões e sons semelhantes, é como se estivesses lá perto. Nos jogos o efeito é igual. É uma camada extra de imersão.

O headset não está sempre a vibrar, depende do tipo de som. O Kraken V3 Pro lê as ondas sonoras para perceber quando é que deve transmitir feedback. Uma música suave de fundo não resulta em feedback háptico no headset, seria demasiado exagerado e irritante. Na prática, a integração da tecnologia em headsets é como se tivesses um potente sistema de som em casa, de dimensões altamente reduzidas. Podes vibrar com o som, sem incomodar outras pessoas que vivam contigo e sem que os vizinhos chamem a polícia. É prático e resulta. Tem ainda a vantagem de funcionar com qualquer conteúdo, não é preciso esperar integração dos criadores de música, filmes e videojogos.

E o resto, é confortável?

Para além da qualidade som, o factor mais importante num headset é o conforto. Não é agradável ter algo que nos magoa as orelhas passado algumas horas ou nos deixa a parte de cima da cabeça dorida. O Kraken V3 Pro é muito confortável, utiliza um misto de outros materiais encontrados noutros headsets da marca. O interior das almofadas são de espuma de memória, revestidas por pele sintética. Não sou fã de pele sintética porque eventualmente começa a "rachar", mas é bastante agradável ao toque. A almofada no arco da cabeça está generosamente preenchida por espuma, pelo que não te vai causar desconforto. O único senão é que as almofadas laterais não rodam. O ponto positivo é a robustez que o headset ganha.

O microfone pode ser removido, o que é útil para aqueles que querem utilizar o headset fora de casa. O micro está equipado com a tecnologia HyperClear SuperCardioid e funciona às mil maravilhas. Capta bem a tua voz, ignorando os barulhos indesejados (os teus amigos não vão ouvir os teus pais ou namorada(o) a gritar contigo). A duração da bateria vai depender bastante das funcionalidades ligadas. Com feedback háptico e Chroma RGB ligado (o símbolo da Razer na lateral dos auriculares acende-se), a bateria vai durar bastante menos, à volta de 10 horas. Se desligares tudo isso, a bateria pode durar mais do dobro.

Relação qualidade / preço - Vale €209.99?

É um headset caro, mas em linha com os preços de outros headsets da Razer. Um headset da Razer sem fios e com Chroma RGB custa à volta de 100 ou 150 euros. Com a adição de feedback háptico, o preço naturalmente subiu. A tecnologia resulta muito bem e, no geral, este é um headset sólido para gaming, que usa as mesmas drivers 50mm revestidas de Titanium de qualidade já provada. A verdade é que não existe nenhuma marca a oferecer um headset comparável com este. O único concorrente é o HS60 da Corsair com Haptic Stereo - mas não tem wireless, nem microfone removível, nem esponja para o microfone, e os materiais não são tão agradáveis. Se mesmo assim o headset te parece demasiado caro, espera por uma promoção. É uma adição de valor a qualquer setup.

Prós: Contras:
  • O feedback háptico vai dar-te mais imersão
  • Compatível com música, filmes e videojogos
  • O headset é muito confortável
  • No geral, materiais de boa qualidade e resistentes
  • Microfone que pode ser removido, com anulação de ruído indesejado
  • Grande compatibilidade de plataformas
  • É caro, mas não existe nada semelhante
  • A pele sintética não dura para sempre

Descobre como realizamos as nossas análises, lendo a nossa política de análises.

Sobre o Autor

Jorge Loureiro avatar

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Comentários