Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Razer Barracuda review

Pelo preço, há funcionalidades que deveriam estar incluídas.

Encontrar um headset apropriado para todas as ocasiões é complicado, mas é isso o que a Razer tenta alcançar com o novo Barracuda. É um headset sem fios, que pode ser emparelhado tanto por Bluetooth como pela frequência 2.4 GHz. É compatível com todas as consolas mais recentes, um grande conveniente para todos os gamers, se bem que no caso da Xbox One e Xbox Series X | S, só funciona através da ligação 3.5 mm, que tem menos qualidade do que o USB. Ainda assim, a sua versatilidade é inegável.

O que é interessante do Barracuda é que a Razer posiciona-o como um headset que também pode ser utilizado fora de casa. No site oficial, a Razer destaca, em letras grandes, que com este headset podes "jogar em qualquer lado". É um posicionamento estranho, não tem protecção contra poeira, líquidos ou suor, e não inclui uma bolsa de transporte. São características que outros headsets da mesma gama incluem. Surprendentemente, o Razer Barracuda também não tem Cancelamento Activo de Ruído, outra funcionalidade comum noutros headphones de €190. A marca preferiu reservar o ANC para o modelo Barracuda Pro, que custa €100 mais.

Qualidade sonora

É na qualidade sonora que o Razer Barracuda mais se destaca. As drivers TriForce Titanium de 50mm fazem um trabalho estupendo na entrega de som limpo, poderoso, e sem distorção quando colocas o volume perto dos limites. O volume pode ser controlado manualmente no auricular direito e, opcionalmente, podes instalar uma aplicação no smartphone para personalizar o áudio e regular a anulação de ruído dos microfones. Apesar da gritante ausência do ANC, a isolamento sonoro é bom. Não precisarás de aumentar o volume ao máximo para te desligares do mundo. Para jogar, a tecnologia THX Spatial Audio faz maravilhas e consegue simular com grande eficácia a direcção dos vários sons.

Compatibilidade

Os cabos incluídos na embalagem garantem que podes ligar o Razer Barracuda a qualquer plataforma. Há um cabo tradicional de 3.5 mm, um cabo USB-C para USB-A, e um terminal USB-C desenhado para inserir o receptor wireless de 2.4 GHz. O conceito da Razer é deixar o receptor em casa, ligado ao PC ou consola, e depois trocar para a ligação Bluetooth se quiseres sair de casa com o headset. Existe um botão no auricular esquerdo para trocar a ligação - e necessitas de ficar a pressioná-lo por vários segundos. A Razer promete uma troca sem interrupções, mas sempre que troquei a ligação, o dispositivo (PC e smartphone) nunca fez a troca imediata para o Razer Barracuda.

Microfone duplo

Uma das novidades deste headset é a incorporação de microfone duplo, um em cada auricular, criando um padrão de cone para captar melhor a tua voz. Os microfones estão equipados com supressão de ruído e, como já referi, podes definir na aplicação o nível de supressão desejado. O headset é indicado para atender chamadas, participar em reuniões, ou comunicar com voz enquanto jogas online, mas não é apropriado para gravação de vídeos ou transmissões em directo. Podes ver uma amostra do microfone no último episódio do Lootbox (até ao minuto 17, depois troquei para o microfone Razer Seiren).

Materiais

Os materiais, sobretudo tendo em conta o preço, deveriam ser melhores. Os auriculares estão revestidos do tecido Flowknit que, pessoalmente, até prefiro em relação à pele sintética do modelo mais caro Barracuda Pro (a pele sintética começa a descascar com o tempo). Contudo, ao toque, não sentes que é um headset de €190, é muito semelhante a vários outros headphones ou headsets que encontras facilmente por preços menores. O plástico é susceptível a arranhões: bastou-me pousar o headset num banco de pedra (e tive bastante cuidado) para ficar com pequenas marcas.

Bateria e conforto

A duração da bateria está em sintonia com os valores prometidos pela Razer. São cerca de 40 horas por cada carga, o que é óptimo para um headset que pesa 300g (quanto maior for a bateria, maior é o peso). O Razer Barracuda é leve o suficiente para ser confortável durante várias horas, mas tem um problema acentuado para quem usa óculos: as almofadas não têm local para deixar passar as hastes. Não consegui usar o headset por mais de duas horas, comecei a sentir as têmporas a serem massacradas pelas hastes e o local ficou dorido por algum tempo.

Conclusão da review | Razer Barracuda: vale €189.99?

Não há como negar que este headset tem um preço descoordenado com aquilo que oferece. Nem é preciso olhar para outras marcas para encontrar melhor, a própria Razer tem dentro do seu leque de headsets propostas mais interessantes. Por €189.99 tinha que oferecer materiais premium, uma bolsa de transporte, e anulação activa de ruído. Fora isto, se a Razer quer mesmo recomendar o headset para uso fora de casa, algum tipo de resistência a água, suor e poeiras não seria mal pensado.

Prós: Contras:
  • Boa qualidade sonora
  • Flowknit é melhor para respiração da pele e mais duradouro
  • Versatilidade de plataformas
  • Longevidade da bateria
  • Opção de ligação por Bluetooth ou 2.4 GHz
  • Desconfortável com óculos depois de várias horas de uso
  • Não tem protecção contra água e poeira
  • Os materiais não condizem com o preço
  • Não traz bolsa de transporte

Descobre como realizamos as nossas análises, lendo a nossa política de análises.

Sobre o Autor

Jorge Loureiro avatar

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Comentários