Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Quantic Dream perde caso no tribunal contra ex-funcionário

Que se despediu após um escândalo com uma montagem no Photoshop.

A Quantic Dream, estúdio Francês responsável por exclusivos PlayStation como Heavy Rain e Detroit: Become Human, perdeu um caso em tribunal contra um ex-funcionário.

A vítima deixou o seu emprego após imagens ofensivas manipuladas no photoshop circularem pelo estúdio - imagens que foram reveladas após uma investigação sobre a cultura tóxica dentro do estúdio, levada a cabo por jornalistas no Le Monde, Canard PC e Mediapart, em Janeiro de 2018.

David Cage e Guillaume de Fondaumière, responsáveis pelo estúdio, foram acusados de comportamento inapropriado, de sobrecarregar os funcionários e algumas queixas acusam-nos de piadas racistas e sexistas. A reportagem do Canard PC[NSFW] inclui exemplos disto, em montagens das faces dos funcionários coladas através do Photoshop no corpo de soldados nazis ou estrelas pornográficas - que foram aparentemente colocadas pelo estúdio.

David Cage reagiu na altura e disse estar chocado com as acusações e partilhou um comunicado no Twitter do estúdio onde dizia que as acusações dos seus funcionários eram uma campanha difamatória.

Mais tarde, como descoberto pelo Kotaku em Abril, a Quantic Dream começou a processar estes jornais, três das maiores publicações Francesas, por apresentarem estas reportagens.

A decisão do tribunal, partilhada online numa série de tweets por Nicolas Turcev, jornalista do Gamekult, centra-se na rara lei prise d'acte.

Esta é uma notificação de cessação de trabalho apresentada por um funcionário que se considera uma vítima. Ao optar por este passo, um funcionário abdica dos seus direitos e salário, mas pode na mesma recorrer e aclamar um despedimento injusto.

O processo é usado para expor falhas no local de trabalho e deixa o caso nas mãos do tribunal de trabalho independente, que depois decide se o funcionário foi despedido ou despediu-se, e se deve receber os seus direitos e compensação.

A experiência do funcionário da Quantic Dream fez com que o tribunal decidisse em seu favor, a sua decisão de se despedir será tratada como um despedimento injusto e receberá os seus direitos. A Quantic Dream tem o direito de recorrer.

Vários ex-funcionários da Quantic Dream apresentaram os seus casos em tribunal, mas esta é a primeira vez que a decisão foi favorável ao funcionário.

O processo da Quantic Dream contra as três publicações Francesas ainda decorre.

Sobre o Autor

Bruno Galvão avatar

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Comentários

More Notícias

Artigos mais recentes