Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

PlayStation 4 Pro e o 4K - Valem a pena?

Analisámos os prós e os contras do novo modelo.

O panorama da indústria dos videojogos está mais uma vez a mudar e desta vez mais rápido do que esperado. Três anos depois do lançamento da PlayStation 4 original, a Sony lançou na semana passada para as lojas um modelo mais potente, a PlayStation 4 Pro. É a primeira vez que isto acontece na história da marca. Já estávamos habituados ao eventualmente lançamento do modelo Slim, que tem aparecido em todas as gerações das consolas da Sony desde a velhinha PSOne, contudo, um modelo com hardware melhorado e que oferece melhor desempenho nos jogos é novidade, isto claro no panorama das consolas. No jogos para PC é comum a actualizar mais regular de hardware. Todos os anos surgem placas gráficas mais poderosas e quem as comprar terá benefício no desempenho e resolução.

O lançamento de um modelo mais potente não significa propriamente o fim das consolas como as conhecemos, é apenas uma resposta ao paradigma actual. Os jogos estão cada vez mais exigentes e cada vez mais se presta atenção ao desempenho dos jogos graças a iniciativas como o Digital Foundry. Os 1080p (ou Full HD) continua a ser actualmente o padrão nos videojogos, no entanto, as televisões 4K estão a ganhar força e também já existem câmaras e smartphones que gravam e fotografam a essa resolução. O Youtube e as séries originais do Netflix também já têm 4K. A PlayStation 4 Pro é uma resposta da Sony à evolução da tecnologia e também às exigências do mercado, mas que será que vale a pena investir no novo modelo e numa nova televisão?

A PS4 Pro suporta 4K nativo?

A resposta é afirmativa. A PlayStation 4 Pro tem suporte para 4K nativo (3840x2160), no entanto, convém esclarecer que nem todos os jogos correm nativamente a essa resolução. Aliás, a maioria dos jogos actualizados para tirar partido da PlayStation 4 Pro correm numa resolução superior a 1080p mas inferior a 4K. O que a consola faz na maioria dos casos é usar uma técnica de upscale para aumentar a resolução para 4K (por exemplo, a resolução de Uncharted 4 na PS4 Pro é de 1440p - podes consultar mais detalhes na análise técnica do Digital Foundry). Portanto, pelo que pudemos ver nesta remessa inicial de jogos com suporte para a PlayStation 4 Pro é que a maioria não corre nativamente a 4K, no entanto, correm numa resolução superior a 1080p. A grande questão aqui é a seguinte: a diferença é notável?

A diferença é notável numa televisão 4K. Embora alguns jogos ofereçam dois modos de desempenho - um com melhorias gráficas a 1080p e outro com resolução a 4K - a maior diferença está mesmo quando a resolução é aumentada. Um exemplo claro disto é Watch Dogs 2. Começamos por jogar na PlayStation 4 original, mas depois instalámos o jogo na PlayStation 4 Pro e o aumento de resolução resulta numa melhor qualidade de imagem e maior nitidez. Os mesmos resultados podem ser vistos em inFamous: Second Son e inFamous: First Light, que já tinham visuais impressionantes na sua forma original, mas que na PlayStation 4 Pro ficam ainda melhores. Já em jogos mais antigos, como Middle-Earth: Shadow of Mordor, também há diferenças, principalmente na personagem, mas nos restantes elementos a qualidade da imagem é mais áspera do que jogos recentes.

Há outros jogos, como Rise of the Tomb Raider, que dão a escolher entre três modos de desempenho. Existe um modo de resolução a 4K, um modo a 1080p com visuais enriquecidos, e por último, um modo a 1080p com fluidez a 60 fotogramas por segundo. Numa televisão 4K, o primeiro modo claramente tem melhor aspecto, no entanto, o modo de 60 fotogramas por segundo também é valioso. Infelizmente, não é oferecido em todos os jogos com suporte para a PlayStation 4. No caso de Watch Dogs 2, não podemos escolher o modo de desempenho nas definições. Em vez disso, o jogo corre automaticamente a 4K na PS4 Pro se a consola detectar que está ligada a uma televisão capaz de suportar a resolução. Seria vantajoso se um modo de 60 fotogramas por segundo existisse em todos os jogos com suporte para a PlayStation 4 Pro, mas infelizmente esse não o caso. Mesmo nos jogos que não suportam oficialmente a PlayStation 4 Pro, existem benefícios no desempenho em alguns casos. Recentemente o DigitalFoundry conferiu que no multijogador de Battlefield 1 existe um desempenho mais estável quando o jogo corre no novo modelo.

Há outro aspecto importante a realizar, o HDR. O nome completo desta tecnologia é High Dynamic Range e trata-se de uma técnica para mostrar num ecrã uma gama mais vasta de cores. O HDR não é uma funcionalidade exclusiva da PlayStation 4 Pro, visto que em Setembro a Sony lançou uma actualização para todas as PlayStation 4 que adicionou o suporte para HDR. No entanto, tal como a resolução 4K, precisam de uma TV que suporte o HDR. Será que o HDR faz diferença? Sim, muita. As cores de uma televisão HDR são mais fiéis à realidade, não só pelo espectro maior do cores, mas pela maior variedade de tons escuros e claros. O HDR juntamente com a resolução maior oferecem uma melhor qualidade de imagem que é imediatamente perceptível.

E o PlayStation VR?

O dispositivo de realidade virtual da PlayStation 4 também beneficia com a chegada da Pro, mas mais uma vez, apenas um número limitado de jogos tiram proveito das capacidades do novo modelo. Dos jogos já disponíveis para o PlayStation VR, apenas Robinson: The Journey; Driveclub VR, RIGS, PlayStation VR Worlds, Until Dawn: Rush of Blood, VR Room e PlayStation VR Worlds receberam uma actualização com suporte para o PlayStation VR. Nos títulos em questão a diferença na qualidade visual também é perceptível, já que para oferecer uma experiência estável, tiveram que ser feitos sacrifícios nos jogos da realidade virtual que correm na PlayStation 4 original. No futuro cada vez mais jogos do PlayStation VR deverão ter suporte para a PlayStation 4 Pro, pelo que este é mais um ponto a favor do novo modelo. No entanto, se não têm interesse na realidade virtual, é indiferente.

Vale a pena comprar a PS4 Pro se já têm a PS4 original?

Este é dilema no qual muitos se encontram. O que acontecia até agora no mercado das consolas era um ciclo de cinco ou seis anos com o mesmo hardware, mas a PlayStation 4 Pro (juntamente com a Xbox Scorpio da Microsoft) vieram alterar essa realidade. Aqueles que compraram a PlayStation 4 original devem estar a questionar-se se vale a pena investir no novo modelo, dado os benefícios que traz. O problema é que para tirar proveito completo da PlayStation 4 Pro precisam, provavelmente, de investir também numa televisão nova (e uma televisão com 4K e HDR custa mais do que a nova PlayStation 4). Sim, o novo modelo oferece benefícios mesmo nos jogos a 1080p, mas pelo que pudemos observar a maior diferença está mesmo no 4K e HDR. Se não têm uma televisão 4K, investir numa PlayStation 4 Pro não vale a pena. Por outro lado, se já têm uma televisão 4K e HDR, a PlayStation 4 Pro é uma proposta aliciante, isto claro se estão à procura de uma qualidade visual superior nos videojogos.

Apesar da chegada da PlayStation 4 Pro e da sua capacidade de desempenho superior, a Sony afirma que todos os futuros lançamentos também vão correr na PlayStation 4 original, pelo que não precisam de comprar o novo modelo para continuar a desfrutar de todos os lançamentos exclusivos e third-party. Se ainda não compraram uma PlayStation 4, e estão indecisos entre a PlayStation 4 Slim e o modelo Pro, recomendamos este último. A diferença de 100 euros no preço (o modelo Slim custa 299 euros; o modelo Pro custa 399 euros) ainda é significativa, mas compensa para ficarem com uma consola melhor preparada para o futuro. Nesta equação também está metida ao barulho a Xbox Scorpio, que chegará algures em 2017 e, segundo as promessas da Microsoft, vai correr os jogos a 4K nativo. No entanto, se assim for, o preço, embora seja desconhecido, será provavelmente superior ao da PlayStation 4 Pro, visto que neste momento apenas PCs topo de gama conseguem correr satisfatoriamente jogos a essa resolução.

Qual TV comprar?

"Nem todas as televisões 4K têm HDR, portanto, confere se o modelo no qual estás interessado tem esta característica"

Parece-nos que o 4K veio para ficar e que eventualmente se tornará no novo padrão, substituindo o 1080p. Se quiserem acompanhar a evolução da tecnologia terão que comprar uma nova televisão. Portanto, a pergunta é essencial é que televisão devem comprar? Não existe uma resposta concreta visto que marcas como a Sony, Samsung, LG, Philips têm bons modelos já disponíveis no mercado. O que deves procurar, para além da resolução 4K, é suporte para HDR. Nem todas as televisões 4K têm HDR, portanto, confere se o modelo no qual estás interessado tem esta característica. É também importante verificar se a televisão tem um modo Gaming. O que é o modo Gaming? É basicamente um modo que reduz a latência, sacrificando um pouco a qualidade visual, quando estamos a jogar na televisão. O modo Gaming é útil sobretudo para jogos com multijogador online, em que uma menor tempo de resposta da televisão dá vantagem. Deves ainda ter em conta o tamanho da televisão. Quanto maior for a distância a que estás da televisão, maior terá que ser a televisão para tirares proveito da resolução mais elevada (este site ajuda-te a encontrares o tamanho ideal). No nosso caso, a televisão 4K que temos no escritório é uma Sony XD83.

Será que a PlayStation 4 Pro é essencial?

Tal como já dissemos antes, não é uma compra essencial para quem já tem o modelo original, no entanto, traz benefícios para aqueles que têm uma televisão com 4K e HDR. É também a compra recomendada para aqueles que ainda não têm nenhuma PlayStation 4. De momento ainda são poucos os jogos com suporte para a PlayStation 4 Pro, mas o número deverá continuar a aumentar nos próximos meses, pelo que o novo modelo deverá ganhar relevância. Ainda assim, todos os jogos da PlayStation 4 Pro vão correr na PlayStation 4 original. A diferença estará na resolução e / ou na fluidez. O preço da PlayStation 4 Pro é adequado para o que oferece, mas a resposta à questão de comprar ou não também vai depender da disponibilidade financeira de cada um.

Marcado com

Sobre o Autor

Jorge Loureiro avatar

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Comentários