Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Phil Spencer fala sobre o seu tempo na Xbox

Objectivos ambiciosos e o desejo de ir mais além.

Numa entrevista com o Stevivor, Phil Spencer, patrão da divisão Xbox da Microsoft, falou sobre o seu tempo nesta equipa e como não gosta nada de ouvir termos como "antes e depois dele", especialmente porque ao contrário do que muitas pensam, ele já estava na equipa Xbox antes de assumir o controlo dela.

Spencer explica que estava na liderança da equipa Xbox ao lado do controverso Don Mattrick, e que geria os estúdios internos da Microsoft. Na altura da apresentação da Xbox One, Mattrick foi considerado o principal culpado da má imagem com que ficaram da consola mas Spencer diz que existiam ideias boas nesse conceito.

"O objectivo da equipa era descobrir como conseguiriam vender 200 milhões de consolas. Nunca vimos uma consola vender tantas unidades. A consola que mais unidades vendeu, a PS2, conseguiu vender 120 milhões ou algo assim. A abordagem da equipa é que as pessoas estão a passar para serviços por vídeo [como o Netflix] e a televisão está a dispersar - se pudessem criar uma consola que seria o centro desta transição e abraçar não só as pessoas que jogam jogos mas também pessoas com hábitos em mudança na televisão, pegarias no mercado de consolas e videojogos e seria expandido."

Spencer explicou que tudo tinha um propósito e um objectivo, tal como o Kinect. As coisas não foram pensas com más intenções, o Kinect tinha um propósito, especialmente no controlo da consola, e se olharmos para isto em termos empresariais, algumas das ideias fazem todo o sentido.

"Ninguém estava com pensamentos mal intencionados ou coisas do género. Foi uma abordagem racional. Eu tenho estado na Xbox desde o lançamento da original. Tenho jogado jogos toda a minha vida. Ainda jogo jogos a todo o tempo. É o que eu faço," diz Spencer que demonstra bem porque é que a Xbox se focou inteiramente nos videojogos quando assumiu o controlo.

O homem que se tornou na principal face da Xbox, disse ainda que não podia de forma alguma pensar em expandir a sua consola, enquanto não assumissem um foco principal nos videojogos. Primeiro era preciso fazer da Xbox One uma consola aclamada e só depois podiam pensar em expandir o seu conceito. Essa foi a sua mensagem quando tomou o controlo.

O principal é que todos saibam que os videojogos estão em primeiro lugar para a equipa da Xbox e que tudo o resto gira em torno dos videojogos que estão a ser criados. Apesar de saber que as pessoas passam tanto tempo a ver televisão ou vídeos quanto passam a jogar, Spencer acredita que é essencial "termos sucesso com os jogadores primeiro antes de termos permissão para fazer outra coisa qualquer."

Iniciativas como o Xbox Play Anywhere são exemplos de como a Microsoft quer dar mais aos jogadores, exemplos do nível de suporte que a Microsoft quer dar à divisão de videojogos.

Marcado com

Sobre o Autor

Bruno Galvão avatar

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Comentários

More Notícias

Artigos mais recentes