Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

PewDiePie diz: "Vai-te lixar Nintendo"

Em resposta ao programa da companhia para dividir os lucros dos vídeos no Youtube.

"Vai-te lixar Nintendo."

Esta foi a reação do maior Youtuber do mundo face ao programa da Nintendo para dividir o lucro com as pessoas que se dedicam à criação de conteúdos para a plataforma de vídeos.

Antes de tudo, Felix Kjellberg, mais conhecido pela alcunha PewDiePie, reconhece que a Nintendo "tem todo o direito de fazer isto assim como qualquer outra produtora/editora", no entanto, criticou a companhia japonesa por não perceber que os Youtubers ajudam a promover e a vender os seus jogos.

Um exemplo perfeito de como os vídeos do Youtube influenciam a compra de um jogo é Minecraft.

"É por isso que um pequeno jogo indie criado por uma só pessoa como Minecraft cresceu para um negócio de 2.5 mil milhões de dólares. Foram 2.5 mil milhões... tornados possíveis, em grande parte devido à exposição que recebeu do Youtube".

Indo mais a fundo na questão, Kjellberg chama atenção para o facto de que os Youtubers criam as suas próprias audiências.

"Se eu jogasse um jogo da Nintendo no meu canal, provavelmente a maioria das visualizações/lucro da publicidade seriam geradas pelo facto de que a minha audiência está subscrita a mim. Não necessariamente porque querem ver um jogo da Nintendo em particular".

"É por isso que um pequeno jogo indie criado por uma só pessoa como Minecraft cresceu para um negócio de 2.5 mil milhões de dólares."

Há algumas excepções, por exemplo, canais do Youtube que publicam playthroughs inteiras de jogos divididas em vários vídeos "para espremer as visualizações do Youtube", um problema que para Kjellberg é maior para a plataforma de vídeos do que para Nintendo.

Não ficando por aqui, o Youtuber com mais de 34 milhões de seguidores diz que o programa é "uma chapada na cara" para os canais do Youtube dedicados à Nintendo, "que mostraram paixão e dedicação à comunidade".

Como nota final, Kjellberg alerta que "existem tantos jogos para jogar", e com este programa, "os jogos da Nintendo foram parar ao fundo da lista".

Um problema não abordado pelo Youtuber são as regras impostas para pertencer a esta programa. Uma das regras é que os vídeos terão que ser analisados e aprovados pela Nintendo, o que leva alguns a questionar se os vídeos negativos ou que apontem falhas aos jogos serão barrados de receber lucros.

Sobre o Autor
Jorge Loureiro avatar

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Comentários