Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Peter Moore fala sobre a Sony e as promessas

Homem da EA não pára.

Depois de ter falado sobre os tempos conturbados que enfrentou enquanto trabalhava na SEGA, Peter Moore continua a falar ao jornal "The Guardian" sobre esses tempos, comentando que a Sony continua a repetir-se, prometendo e não cumprindo.

Questionado sobre como a Dreamcast falhou, Moore revela que na altura ficou chateado com a Sony, reconhecendo no entanto que se estivesse no lugar deles provavelmente teria feito o mesmo. Reconhece também que fizeram um trabalho excelente e a história repetiu-se em 2005 com Killzone, quando prometeram ao consumidor algo que provavelmente acreditavam que iriam conseguir oferecer, mas nunca o fizeram.

Com a Playstation 2 foi o Emotion Engine, foi os jogos ganharem vida, real player que iria ser incorporado, navegador de internet completo, coisas que nunca ofereceram.

Segundo a visão de Moore, o que eles fizeram foi colocar dúvida na cabeça dos consumidores. O mesmo foi feito pela Guerrilla à três anos na E3. Enquanto que Moore foi duramente criticado pelo que fez na altura, porque estava determinado a mostrar jogabilidade em tempo real mesmo que fosse em estado beta ou alpha, eis que então a Sony aparece com o vídeo do Killzone 2. Eles ainda nem enviaram o jogo para as lojas, e nunca será como o que foi mostrado no vídeo. O que fizeram foi colocar dúvidas. Moore considera que foi uma táctica fantástica por parte dos relações públicas.

Moore continua a falar sobre os seus tempos na SEGA e podem ler o resto da entrevista no site Guardian.co.uk.

Marcado com

Sobre o Autor

Bruno Galvão avatar

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Comentários