Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Os exclusivos são um pilar da indústria e a Xbox terá exclusivos, diz Phil Spencer

O objetivo é expandir a audiência com acesso a esses exclusivos.

Após a apresentação da Xbox no Tokyo Game Show e do anúncio que a autoridade da concorrência no Reino Unido iniciou uma segunda fase da investigação à compra da Activision, enquanto a União Europeia prepara a sua, Phil Spencer tem conversado sobre o que se está a passar e do seu empenho em manter Call of Duty nas consolas da PlayStation.

Em conversa com a CNBC, Spencer foi questionado sobre a investigação e diz que não pode falar sobre isso devido à forma como as coisas funcionam, mas respondeu à questão sobre se acontecerá com a Activision o mesmo que foi feito com a Bethesda e todos os novos jogos criados após a compra serão exclusivos da Microsoft.

Spencer respondeu que os exclusivos são há muito tempo um pilar desta indústria e a Xbox continuará a ter exclusivos, mas o desejo é expandir a audiência que os pode jogar.

“A exclusividade de títulos é algo que tem sido um pilar da indústria há muitíssimo tempo. Há alguns anos atrás decidimos que ao lançar os nossos jogos seriam lançados nas consolas e PC, obviamente também os tornamos disponíveis para qualquer pessoa com um navegador de internet, podes ir a www.Xbox.com/play e jogar os nossos jogos através da nuvem. Queremos dar acesso aos nossos jogos a mais jogadores no futuro, esse é o nosso objetivo.”

“Para nós, quando pensamos em exclusividade, vamos ter exclusivos na Xbox, temos hoje, faz parte da nossa plataforma para criar afinidade pelo que fazemos. Mas queremos que esses jogos sejam jogados por mais jogadores do que nunca e construímos a tecnologia e inovação no modelo de negócio para tornar isso possível.”

Ontem a Sony aplaudiu a decisão de iniciar uma nova fase da investigação à compra da Activision e a Microsoft respondeu que não tem planos para tirar Call of Duty das consolas PlayStation.

A Sony alega que a Microsoft apenas fará isto durante mais 3 anos além do acordo atual e diz mesmo que as séries da Activision nas mãos da Microsoft será prejudicial para toda a indústria.

Sobre o Autor
Bruno Galvão avatar

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Comentários