Skip to main content
Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

O que estamos a jogar | 4 de março

Relaxa e joga.

Olá, estamos de regresso com a nossa rúbrica semanal, na qual falamos de alguns dos jogos que temos jogado nas últimas semanas ou que ainda estamos a jogar.

Estes são os jogos que nos entusiasmam e que não conseguimos resistir a jogar, vendo as horas passar a voar.

Há sempre aquele jogo especial que não conseguimos largar, especialmente numa era de jogos que recebem conteúdos e atualizações meses ou anos depois do lançamento.

Há sempre aquele clássico que queremos repetir ou até mesmo descobrir pela primeira vez, um guilty pleasure que nos captura sem explicação ou uma ramificação de uma série popular para um novo género que queremos investigar.

Seja numa consola, PC ou até no mobile, há sempre algo que desperta a nossa empolgação e estamos constantemente à procura da próxima grande experiência que nos vai deslumbrar.

E tu, o que tens andado a jogar nestes últimos tempos? Nós queremos saber.


Destiny 2: Lightfall

Quando finalmente larguei Destiny em meados de 2020, algures depois daquele período da pandemia em que toda a gente estava fechada em casa, estava saturado da sua fórmula. Não é que o jogo estivesse pior (ou melhor), simplesmente jogava regularmente desde 2014. Mas o bichinho de voltar nunca me abandonou. A chegada de Lightfall, a mais recente expansão, foi a oportunidade ideal para regressar. Joguei pouco para tecer qualquer julgamento, mas aquela jogabilidade não cansa e acho que não existe nenhum FPS no mercado que dê tanta satisfação na sensação das armas.

Jorge


Dead Space remake

Ver no Youtube

Dead Space remake esteve novamente no meu foco esta semana, ainda não consegui terminar o New Game +, obviamente por falta de tempo. Não é fácil encontrar aquelas horas para nos dedicarmos a jogos que realmente queremos jogar. Estive de mãos cheias com dois títulos, um para análise e outro um acesso antecipado. Mesmo depois de tantas horas pelos corredores sombrios de USG Ishimura, este remake ainda me impressiona. Um obra-prima a nível sonoro e arte visual. Electronic Arts, queremos luz verde para um remake de Dead Space 2.

Adolfo


Wo Long: Fallen Dynasty

Ver no Youtube

Uma das coisas mais divertidas com Nioh e Nioh 2 foi acompanhar o lançamento e as reações da comunidade. Mais do que isso, participar no lançamento e ajudar outros jogadores através do cooperativo é algo que sempre gostei de fazer e é o que tenho feito. Nestes últimos dias, joguei Wo Long para a análise e mantive-me aqui, a jogar para ajudar outros jogadores e contribuir para a sensação de vitória que se torna tão boa quando derrotamos uma ameaça temível.

Bruno


Hi-Fi Rush

Continua na minha Series X a correr este magnífico jogo da Bethesda, produzido pela Tango Gameworks. A secção inicial, numa espécie de longo segmento de aprendizagem e introdução aos movimentos, a culminar na primeira "boss fight", causou-me algum cansaço pela forma como pausava a acção para dar lugar a sequências de explicação. Se há ensinamento bom a retirar dos jogos da Platinum Games é que a acção é imediata e non stop. No entanto, em Hi-Fi Rush, depois desse segmento, a onda musical e de plataformas toma conta do jogo, levando-o para patamares bem desafiantes, com uma arte vincada a lembrar a animação ou mesmo mangá. Ainda tenho bastante para jogar deste jogo, mas cada partida leva-me ao ritmo da batida.

Vítor

Sign in and unlock a world of features

Get access to commenting, newsletters, and more!

In this article
Awaiting cover image

Dead Space (remake)

PS5, Xbox Series X/S, PC

Destiny 2: Lightfall

Video Game

See 2 more

Hi-Fi Rush

Xbox Series X/S

Wo Long: Fallen Dynasty

Xbox Series X/S

Related topics
Sobre o Autor
Bruno Galvão avatar

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.
Comentários