Skip to main content

O que estamos a jogar - 4 de Julho

Olympic Ori of Vesperia.

4 de Julho de 2021

Olá, bem-vindo a esta nossa rúbrica semanal, na qual falamos de alguns dos jogos que temos jogado nas últimas semanas ou que ainda estamos a jogar nestes dias de confinamento. Estes são os jogos que nos entusiasmam e que mesmo com tempo limitado, não conseguimos resistir a jogar.

Nós por aqui temos sempre muito que fazer, sempre atarefados com novos jogos, novidades da indústria, e claro, há que manter a nossa comunidade informada e a par de que se passa. Tentámos chegar a todo o lado, e isso retira-nos aquele tempo especial para relaxarmos e jogar o que mais amamos. Há sempre aquele jogo especial que não conseguimos largar, e agora irão ficar a saber o que temos andado a jogar às "escondidas".

E tu, o que tens andado a jogar nestes últimos tempos? Nós queremos saber.


Olympic Games Tokyo 2020 - Switch

Depois do adiamento do Europeu, também os Jogos Olímpicos transitaram de 2020 para 2021. E muito embora venham do Japão notícias que dão conta do interesse em realizar o grande evento desportivo, pairam algumas nuvens de incerteza sobre a realização do evento, atendendo ao recrudescimento da pandemia. Certo é que pela mão da Sega chegou-nos já o jogo oficial da prova; Olympic Games Tokyo 2020. Há algumas semelhanças entre este título e o Sonic and Mario nos Olímpicos. Desde logo na extrema acessibilidade das provas, permitindo a qualquer jogador tirar proveito imediato, ao bom estilo arcade. Não perde de vista a competição online. A diferença maior é que não temos as personagens bem conhecidas. Criamos um avatar, rapaz ou rapariga, e é com ele que iremos disputar as diferentes provas. Da natação ao lançamento do martelo, passando pelo vólei de praia ou pelo ténis, a acessibilidade é mesmo dominante, sem grandes complexidades. Um jogo simples, sem grande realismo, que nos lembra que os jogos também podem ser descontraídos.

Vítor

Ori and the Blind Florest: Definitive Edition

Esta semana comecei a corrigir um dos meus "pecados" enquanto gamer, nunca ter jogado Ori and the Blind Florest. A vontade existe desde que o jogo foi lançado em 2015, mas no meio de tantos jogos, este foi negligenciado até agora. Comecei a jogar no PC através do Xbox Game Pass, mas depois facilmente transitei para smartphone graças ao Xbox Cloud Gaming. A combinação com o Razer Kishi - um acessório que transforma o smartphone em algo parecido a uma Nintendo Switch - é fantástica e funciona surpreendentemente bem. Quanto ao jogo, é simplesmente mágico! A jogabilidade é simples, mas com grande fluidez e ritmo. Depois os cenários são de ficar boquiaberto. É como mergulhar num antigo livro de banda desenhada da Disney - não só pela qualidade do desenho e da arte, mas também por causa da história.

Jorge


Tales of Vesperia: Definitive Edition (Nintendo Switch)

Após mais de 20 horas em Vesperia, estou agora perto da segunda metade da narrativa e praticamente no ponto em que tive de parar de jogar quando a minha versão Xbox 360 se perdeu para todo o sempre. Até agora a jornada tem sido fantástica e como me lembrava, é um dos melhores da série e talvez mesmo o melhor. O grupo de protagonistas, a narrativa e o sistema de combate permanecem altamente divertidos e interessantes mesmo tantos anos depois. Além disso, a Definitive Edition permite conhecer Patti e descobrir mais alguns momentos muito cómicos e acredito que este é um dos melhores jogos do género e a idade pouca mossa lhe fez.

Bruno

Lê também