Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

O que estamos a jogar - 16 julho

Muitas horas a jogar o quê?

Olá, estamos de regresso com a nossa rúbrica semanal, na qual falamos de alguns dos jogos que temos jogado nas últimas semanas ou que ainda estamos a jogar.

Estes são os jogos que nos entusiasmam e que não conseguimos resistir a jogar, vendo as horas passar a voar.

Há sempre aquele jogo especial que não conseguimos largar, especialmente numa era de jogos que recebem conteúdos e atualizações meses ou anos depois do lançamento.

Há sempre aquele clássico que queremos repetir ou até mesmo descobrir pela primeira vez, um guilty pleasure que nos captura sem explicação ou uma ramificação de uma série popular para um novo género que queremos investigar.

Seja numa consola, PC ou até no mobile, há sempre algo que desperta a nossa empolgação e estamos constantemente à procura da próxima grande experiência que nos vai deslumbrar.

E tu, o que tens andado a jogar nestes últimos tempos? Nós queremos saber.

Gran Turismo 7

Após algumas semanas afastado do volante, esta foi marcada pelo meu regresso a Gran Turismo 7. Desta vez afastei-me da sua componente competitiva online, dediquei-me a completar mais desafios nas diversas pistas, amealhar alguns créditos para comprar aqueles carros que tanto desejava. GT7 tem esta vertente, tanto se pode jogar de forma mais descontraída como podemos optar pela competição multijogador que nos dá aquela adrenalina extra.

Adolfo


Monster Hunter Rise: Sunbreak (Switch)

Após a chegada da expansão com tantas novas missões, monstros para caçar e locais para explorar, voltei a Monster Hunter Rise. A Capcom conseguiu mais uma vez apresentar uma expansão de grande qualidade e o foco extra na narrativa fez com que fosse ainda mais interessante acompanhar a nova história ao longo das 20 horas de jogo extra. Esta semana foi passada a terminar mais missões para fabricar mais armas e armaduras. Não me canso de jogar com jogadores japoneses e assistir ao brilhantismo da maioria deles.

Bruno


Forza Horizon 5

A entrada da quinta iteração da série Forza Horizon corresponde a um imenso território de dimensões off-road, embora com estradas de asfalto e percursos (trilhos) tradicionais. À medida que penetro neste jogo descubro como há algumas pontes e ligações com os saudosos Motorstorm, também com bastantes pistas no deserto e ambientes exóticos. Claro que depois é toda a componente de dimensão realista do automóvel, em cenário e em chassis, que ocupa o cerne do jogo, num tipo de condução a pender para o arcade, sem menosprezar os drifts e uma sensação de física irrepreensível. Ainda estou a raspar a superfície de Forza Horizon 5 mas continua como excelente alternativa a Forza Motorsport 7.

Vítor

Sobre o Autor
Adolfo Soares avatar

Adolfo Soares

Director

É o nosso homem do PC, por isso qualquer coisa é com ele. É também responsável pelo Eurogamer, bem como dá uma perna nas notícias.

Comentários