Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

O que estamos a jogar - 12 fevereiro

E tu, a que jogos tens dedicado o teu tempo?

12 de fevereiro de 2022

Olá, estamos de regresso com a nossa rúbrica semanal, na qual falamos de alguns dos jogos que temos jogado nas últimas semanas ou que ainda estamos a jogar. Estes são os jogos que nos entusiasmam e que não conseguimos resistir a jogar, vendo as horas passar a voar.

Há sempre aquele jogo especial que não conseguimos largar, especialmente numa era de jogos que recebem conteúdos e atualizações meses ou anos depois do lançamento. Há sempre aquele clássico que queremos repetir ou até mesmo descobrir pela primeira vez, um guilty pleasure que nos captura sem explicação ou uma ramificação de uma série popular para um novo género que queremos investigar.

Seja numa consola, PC ou até no mobile, há sempre algo que desperta a nossa empolgação e estamos constantemente à procura da próxima grande experiência que nos vai deslumbrar.

E tu, o que tens andado a jogar nestes últimos tempos? Nós queremos saber.


Resident Evil 4

Esta semana fiz uma pausa na minha prolongada e continuada experiência da Game and Watch da série Zelda, com a qual vinha revisitando o primeiro Zelda, para regressar a um dos meus jogos favoritos de sempre: Resident Evil 4. À luz das mais recentes iterações da Capcom, Resident Evil recapturou a atmosfera e voltou a isolar muitos elementos chave do tipo survival, com um sucesso que ficara por concretizar no pós Resident Evil 4, quando o ritmo pausado e recheado de puzzles deu lugar à acção. É curioso que tenha sido precisamente Resi 4 a inaugurar essa mudança, mas com uma concretização esmerada e que não viria a proporcionar o mesmo grau de execução, imprevisibilidade e atmosfera nos jogos seguintes. Impressiona saber que decorreram já 18 anos desde a memorável incursão de Leon por uma localidade perdida numas montanhas espanholas. Com tantas versões que já perdi a conta, creio que seria bom para as novas gerações que ainda não conhecem este portento passar algum tempo com Leon.

Vítor


Dying Light 2 Stay Human

Após terminar Dying Light 2 Stay Human e escrever a respetiva análise, resolvi esta semana voltar a The City para completar algumas das missões secundárias que ficaram pendentes. Não que sejam de relevante importância, são de facto demasiado banais, como referi na minha análise. Constatei mais uma vez o óbvio. No entanto dei por mim a deambular pelo mapa em busca de novas armas e armadura, fazer mais incursões noturnas e desbloquear todas as estações de metro. O endgame tem muito para oferecer, em quantidade, mas sinceramente não tão intenso como no primeiro título. O sabor amargo continua na minha boca, o mesmo de quando terminei a campanha. Nada mudou infelizmente.

Adolfo


FIFA 22

A TOTY veio e a TOTY foi e a minha equipa permanece igual. Mesmo após abrir perto de 100 packs ganhos a jogar, não consegui obter nenhum jogador da equipa do ano e isto significa que tenho de continuar a sonhar em ter um. A chegada das Estrelas do Futuro introduziu novos talentos, mas a sorte nos packs também não é muita. Resta continuar a jogar na esperança de obter FUT Coins para comprar o Trincão, já que o Smith Rowe não é para os meus bolsos. Nem sequer um Ícone consegui e agora é esperar que Flashback Neymar não seja muito caro para tentar esse desafio para o colocar na minha equipa.

Bruno


Horizon: Forbidden West

Correndo o risco de me tornar repetitivo, Horizon: Forbidden West. Estou a roer-me internamente para não dizer nada. Eu sei que vocês têm muitas perguntas e querem saber o veredicto. Não se preocupem, Segunda-Feira, 14 de Fevereiro, vou poder finalmente abrir a boca. Aguentem só mais um bocadinho.

Jorge Loureiro

Sobre o Autor

Adolfo Soares avatar

Adolfo Soares

Director

É o nosso homem do PC, por isso qualquer coisa é com ele. É também responsável pelo Eurogamer, bem como dá uma perna nas notícias.

Comentários