Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

O progresso na história de Redfall está ligado ao host quando jogado em cooperativo

Manténs o progresso da personagem.

A Arkane Studios falou sobre o funcionamento de Redfall e como planeou o progresso quando decides jogar a experiência em cooperativo, desfrutando da companhia de amigos ou desconhecidos para tiroteios mais intensos.

Harvey Smith, diretor criativo de Redfall, falou com o IGN e partilhou que quando decides jogar a campanha em cooperativo, o progresso na narrativa está associado ao host, enquanto o progresso da personagem é específico para cada jogador.

"Seja quem for o host da sessão, que inicia a sessão, o seu progresso na história é persistente para ele, mas não é para as outras pessoas. O progresso do teu personagem é, as armas que encontras, os níveis que ganhas, tudo isso é persistente."

"Mas em termos das missões desbloqueadas e isso, o host, o seu progresso importa. Se entrares na sessão de um amigo e eles estiverem a meio do jogo e terminas a segunda metade do jogo com ele e depois sais e queres jogar a solo, terás de começar do início da campanha com uma personagem."

Smith diz que pensaram em permitir passar à frente as missões completadas em cooperativo, mas decidiram que não iria resultar.

"Quando começamos a pensar nisso e a trabalhar nisso, imaginamos um cenário onde todas as missões que jogaste, assinalámos isso, és premiado por isso, como feito."

"Mas depois acabas com o estranho problema de, comecei a jogar contigo, mas agora vou jogar sozinho e começo a jogar a campanha e depois começo a chegar a missões que já fiz, por isso, devido ao fluir das coisas queremos que sejas forçado a repetir."

Smith diz que a história ficaria muito confusa, "se chegasses à missão oito e fosses informado para avançar porque já a fizeste" e por isso a equipa decidiu manter o progresso da personagem, mas não na narrativa.

Sobre o Autor

Bruno Galvão avatar

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Comentários