Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

O Metacritic já não determina o sucesso de um jogo, diz a Saber

As redes sociais e influenciadores vendem jogos.

A Embracer Group e a Saber Interactive lançaram Evil Dead: The Game e nos primeiros 5 dias venderam meio milhão de unidades, mostrando que existe interesse em jogos de terror para vários jogadores e que a indústria está a mudar.

Matthew Karch, CEO da Saber, falou com os investidores na mais recente apresentação financeira e foi questionado sobre o desempenho de Evil Dead: The Game, cujas notas deixaram a companhia contente e até ultrapassaram as expetativas. No Metacritic, o jogo apresenta uma média de 77 na versão PC, 75 na PS5 e 74 nas Xbox Series, mas Karch diz que isso já não determina o sucesso de um jogo.

"Outra coisa que aprendemos é que os dias de uma nota Metacritic determinar o quão bem um jogo vende desapareceram há muito tempo."

Karch diz que os jogos atualmente são vendidos pelas redes sociais, influenciadores e pela conversa que se gera à sua volta.

"Os jogos são vendidos pela qualidade do produto em si, independentemente da sua classificação. Posso falar em jogos que tiveram 8s e 9s e, posso dizer-te, as editoras gostariam de nunca os ter lançado. É bom ter uma placa na tua parede, mas se não tens dinheiro para o prego para a pendurar, de que vale a pena isso, certo?"

Sem mencionar diretamente Elden Ring, Karch diz que é difícil lançar um jogo com a presença de "um colosso" à volta, mas diz que aprenderam que existem diversas formas de monetizar um produto após o lançamento.

Karch diz mesmo que "até jogos premium já não se focam em chegar numa caixa, esperar que o primeiro mês corra bem e depois esquecê-lo."

No caso de Evil Dead: The Game, Karch diz que as notas e as vendas ultrapassaram as expetativas e confessa estar surpreendido com o sucesso. O jogo terá um grande e longo suporte e Karch confirma que já estão a pensar em sequelas.

Sobre o Autor

Bruno Galvão avatar

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Comentários