Skip to main content

Microsoft terá de pagar $3 mil milhões à Activision se o negócio não seguir em frente

Kotick diz que o dinheiro será usado beneficiar os investidores.

Image credit: Activision Blizzard King

Se o negócio entre a Microsoft e a Activision Blizzard não ficar concluído antes de 18 de julho de 2023, a dona da Xbox terá de pagar $3 mil milhões à dona de Call of Duty como taxa de rescisão.

A decisão da CMA, a autoridade da concorrência no Reino Unido, em bloquear o negócio deu imenso que falar nos últimos dias. Bobby Kotick, CEO da Activision Blizzard, criticou duramente a CMA e falou com a CNBC sobre a decisão.

Durante a conversa, Kotick foi questionado se está preparado para um possível futuro em que a sua companhia permanece independente e apesar de afirmar que só pensam em fechar o negócio, deixou uma pequena mensagem para tranquilizar os investidores.

"Bem, penso que o nosso primeiro foco é tentar fechar o negócio, penso que é do interesse de toda a indústria e da concorrência," disse Kotick.

"Se não seguir em frente, sabes, até ao final do ano, penso que estaremos sentados em cima de algo como $18 mil milhões em dinheiro. Se olhares para os 30 anos da nossa história, usámos muito bem o capital em prol dos nossos acionistas e continuaremos a fazer isso."

Comparado com os mais de $69 mil milhões do negócio, os $3 mil milhões que a Microsoft poderá ter de pagar parece uma quantia pequena, mas é quase metade do que a dona da Xbox pagou pela Bethesda.

Kotick diz que vão permanecer independentes, mas a realidade atual está a criar grandes dificuldades para quem segue sozinho e fala da concorrência das companhias na Ásia e da dificuldade em penetrar em alguns mercados a solo.

Lê também