Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Microsoft confirma despedimento de milhares de funcionários

Cerca de 11 mil pessoas.

Atualização

A Microsoft anunciou oficialmente que despediu 4.5% da sua força laboral, um número superior a 10 mil funcionários distribuídos por diversas divisões da companhia de tecnologia.

A Microsoft não confirmou se os despedimentos afetaram a sua divisão Xbox, dedicada aos videojogos.

A companhia explicou que esta decisão está relacionada com o alinhamento da estrutura de custos com a receita e onde existe maior procura por parte do consumidor.

Jason Schreier do Bloomberg apurou que funcionários da divisão de videojogos na Xbox e Bethesda fazem parte dos trabalhadores que serão despedidos e o VGC diz ter visto uma mensagem de Gary Waliczek, engenheiro na Xbox, onde fala em despedimentos na sua equipa.

Original:

Em outubro de 2022, a gigante do mundo da tecnologia despediu mais de mil funcionários, incluindo trabalhadores da divisão Xbox. Agora, a Sky News e Bloomberg avançam que cerca de 11 mil funcionários serão despedidos.

O Bloomberg e a Sky News dizem ter sido informados pelas suas fontes que esta nova vaga de despedimentos será significativamente superior às mais recentes feitas em 2022, mas não apresentam um número concreto.

Estes despedimentos serão anunciados ainda esta semana, muito possivelmente já hoje, cerca de uma semana antes da Microsoft apresentar o seu próximo relatório financeiro a 24 de janeiro.

No dia seguinte, 25 de janeiro, a Microsoft Gaming revelará ao mundo gameplay de vários títulos desenvolvidos internamente.

Sign in and unlock a world of features

Get access to commenting, newsletters, and more!

Related topics
Sobre o Autor
Bruno Galvão avatar

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Comentários