Skip to main content

Microsoft considerou comprar a Bungie e a Sega para reforçar Game Pass

De acordo com emails internos.

Com a batalha judicial entre a Microsoft e a FTC a seguir a todo o vapor, novos detalhes sobre as políticas da dona da Xbox têm vindo ao de cima.

Agora, um documento interno confidencial da Microsoft revelou que a empresa considerou adquirir a Bungie, a Sega e muitos outros estúdios populares.

O The Verge afirma ter tido acesso a um e-mail do chefe da Xbox, Phil Spencer, enviado para o CEO Satya Nadella e a CFO da Microsoft, Amy Hood, solicitando aprovação da estratégia para abordar a Sega Sammy sobre uma potencial aquisição da sua divisão de jogos Sega.

“Acreditamos que a Sega construiu um portfólio bem equilibrado de jogos em segmentos com apelo geográfico global e ajudar-nos-á a acelerar o Xbox Game Pass dentro e fora da consola”, disse Spencer no e-mail de novembro de 2020. Esta compra iria ainda ajudar a alcançar novas audiências na Ásia.

Não está claro se a aprovação estratégica de Spencer foi concedida, ou se a Microsoft chegou a uma reunião sobre uma possível aquisição da Sega, mas o que os documentos recém-partilhados mostram é que a Sega, sem surpresa, não foi o único alvo na mira da Microsoft.

O artigo do The Verge revela ainda que a Microsoft identificou áreas-chave para aquisições no PC, dispositivos móveis e consolas em diferentes mercados, e a Sega, Bungie, Zynga, Niantic, IO Interactive ou Supergiant Games faziam parte de várias empresas que a Microsoft estava a pensar em adquirir.

Talvez o mais notável, no entanto, seja a confirmação de que a Microsoft estava de olho no estúdio de Destiny, a Bungie, como parte de uma tentativa de preencher uma lacuna em "engajamento e interação social" e "expansão do público".

Vale a pena relembrar que, em 2022, a Bungie foi adquirida pela Sony.

Lê também