Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Mario Power Tennis - Virtual Console - Análise

Academia de estrelas.

Lançado em 2005 para a Game Boy Advance, Mario Power Tennis partilha o mesmo nome da versão lançada para a GameCube um ano antes. No entanto, são jogos ligeiramente diferentes. Ainda que ambos tenham sido desenvolvidos pela Camelot, a versão Game Boy Advance dá continuidade ao jogo lançado para o Game Boy Color, apostando na experiência individual e numa estrutura típica de um role play, com pontos de experiência e níveis de evolução do desportista.

A apresentação, o design, o quadro das conversas, o tipo de letra e até as melodias, não fogem ao traço que marcou Golden Sun, um dos melhores jogos de role play para a portátil. Quase dez anos depois, a Nintendo volta a reeditar o jogo, mas agora para a Virtual Console da Wii U. É verdade que os jogos de ténis conhecem um antes e depois de Virtua Tennis. Sem nunca competir directamente com essa produção da Sega, a Camelot foi capaz de criar um jogo muito autêntico e alternativo, ao ponto de ser o melhor jogo de ténis para uma plataforma portátil, com estrutura de role play. Não pensem porém em combates por turnos. Aqui os desafios de ténis no court têm grande validade, especialmente ao nível das pancadas e efeitos que podem conferir à bola, através dos Power Shots. Esse é o grande mérito da Camelot na produção deste jogo, a boa articulação operada entre narrativa, estrutura role play e simulação da modalidade.

Bons visuais na GBA.

Este jogo começa com dois tenistas principiantes que se estreiam no Royal Tennis Academy, aprendendo o essencial sobre o desporto, entre várias técnicas reveladas através de pequenas lições, antes de desafiarem outros adversários na luta pelo posto cimeiro do ranking. Curiosamente, a primeira parte do jogo envolve muitos diálogos, enquanto a nossa personagem conhece as instalações e vai recebendo as primeiras instruções. Apesar desta parte algo demorada, tudo é convenientemente explicado, até porque há imensas técnicas especiais e regras que fazem a diferença quando dominadas.

As personagens da Nintendo chegam numa fase ulterior do jogo e revelam-se nalguns casos valiosos oponentes. Claro que depois podemos jogar com estas personagens, em desafios particulares. Mario, Luigi, Donkey Kong, Peach, entre outros, estão todos na luta pela liderança do ranking e torna-se muito interessante conhecer as suas habilidades e pancadas especiais.

A entrada no torneio permite também às personagens evoluírem através da aquisição de pontos de experiência, obtidos no final de cada partida. Há uma série de parâmetros que podem ser reforçados depois de obtida a subida de um nível, porém, os pontos são escassos, o que nos obriga a gerir o processo de evolução, optando por mais velocidade, controlo ou força, e ainda mais cinco parâmetros adicionais. Os mini-jogos e as lições disponíveis nos courts secundários permitem também um ganho de experiência, com muitos deles a ficarem disponíveis assim que começamos o jogo, o que é bom para reforçar a técnica.

Partidas em pares requerem uma diferente abordagem.

A jogabilidade, embora sem o grau de física de um Virtua Tennis, com todo o controlo apurado que proporciona, é apesar disso bastante directa, com bons comandos, visando várias estratégias, consoante a nossa personagem jogue com a mão direita ou esquerda, esteja mais longe ou perto da rede, tenha o adversário mais perto ou longe da linha limite. As combinações de botões e técnicas especiais tornam os jogos individuais ou em pares mais aliciantes, sempre com uma razoável inteligência artificial.

Concluindo, Mario Power Tennis é uma das melhores opções do género para uma plataforma portátil e um dos melhores jogos criados pela Camelot. A componente individual encontra-se muito bem estruturada e revela uma progressão segura, ainda que numa primeira fase o jogador se veja apertado por mais lições e menos tempo de jogo. Mas a seu tempo os desafios chegam em catadupa e todos os ensinamentos são postos à prova, revelando um desafio sólido e bem construído. Uma alternativa valiosa à maioria dos jogos de ténis orientados exclusivamente para a simulação. O culto de Mario Power Tennis na GBA continua nesta versão da Virtual Console para a Wii U.

Descobre como realizamos as nossas análises, lendo a nossa política de análises.

Marcado com

Sobre o Autor

Vítor Alexandre avatar

Vítor Alexandre

Redator

Adepto de automóveis é assim por direito o nosso piloto de serviço. Mas o Vítor é outro que não falha um bom old school e é adepto ferrenho das novas produções criativas. Para além de que é corredor de Maratona. Mas não esquece os pastéis de Fão.

Comentários

More Análises

Artigos mais recentes