Skip to main content

Stellar Blade | Exclusivo PlayStation 5

Reserva Já - Lançamento a 26 de abril

Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Jim Ryan não quer novo acordo para Call of Duty, acusa Activision

Apenas quer bloquear o negócio com a Microsoft.

Image credit: Activision Blizzard King

Lulu Cheng Meservey, vice-presidente dos assuntos executivos na Activision Blizzard, voltou a criticar a postura da Sony Interactive Entertainment sobre o negócio entre a Microsoft e a sua companhia, acusando a companhia de apenas querer bloquear o negócio.

Através do Twitter, onde a executiva da Activision tem comentado frequentemente o que se vai passando sobre o negócio (local onde já fez um meme a gozar a Sony), Meservey reagiu às mais recentes descobertas sobre a investigação da CMA. Mais concretamente, ao receio da Sony que a Microsoft possa lançar versões inferiores dos jogos Call of Duty na PlayStation.

Meservey não gostou nada de ler isso e reagiu ao comentar que a proposta que apresentaram à líder Sony é muito melhor do que algumas teria por parte da Activision, e mesmo assim recusaram.

Segundo Meservey, a SIE continua a recusar e a resposta é fácil, Ryan não quer um novo acordo para Call of Duty, apenas deseja travar a fusão.

"O CEO da SIE respondeu a essa pergunta em Bruxelas. Nas suas palavras: "Eu não quero um novo acordo para Call of Duty. Eu apenas quero bloquear a vossa fusão."

Meservey diz que Jim Ryan disse isto a 21 de fevereiro, antes das audiências em Bruxelas começarem, e segundo diz, é por isto que a SIE ainda não aceitou o acordo apresentado pela Microsoft.

Sign in and unlock a world of features

Get access to commenting, newsletters, and more!

Related topics
Sobre o Autor
Bruno Galvão avatar

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.
Comentários