Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Gran Turismo PSP

Garagem de bolso.

A série Gran Turismo é, indiscutivelmente, sinónimo de PlayStation. As obras a cargo de Kazunori Yamauchi sempre acompanharam o crescimento das consolas Sony, e a PSP não podia ser excepção. Apesar de ter sido anunciado no longínquo ano de 2004, só nesta última edição da E3 é que foram revelados os primeiros detalhes e imagens in-game do jogo, que acompanharam a divulgação da novíssima PSP Go.

Numa série que está habituada a inovar graficamente, neste novo título não podia ser excepção. A equipa da Polyphony Digital puxou ao máximo pelo hardware da pequena portátil da Sony, e os resultados não podiam ser melhores. Não nos deixando empolgar pelo trailer mostrado na conferência da Sony na E3, tivemos de ir até ao expositor da companhia experimentar o título e, devemos dizer, ficámos bastante impressionados. Este encontra-se com um aspecto bastante parecido aquele que é possível encontrar em Gran Turismo 4, para a PlayStation 2, mas nem por isso o jogo vai correr de pior forma. Kazunori confirmou à imprensa que Gran Turismo PSP vai correr a 60 frames por segundo.

Tão ou mais importante do que os gráficos é a jogabilidade, e como tivemos oportunidade de experimentar, a experiência de jogo mantém-se intacta, estando ao mesmo nível das restantes versões para consolas domésticas. Cada carro apresenta um comportamento idêntico ao seu congénere real. Desta forma, ao contrário de muitos jogos já existentes para a PSP, um Ferrari Enzo nunca vai ter um comportamento igual a um Nissan GT-R. Para beneficiar ainda mais esta componente está a disposição dos botões na portátil, que assumem as mesmas funções que do DualShock. A única ausência é, obviamente, a utilização do segundo analógico para acelerar e travar, já que a PSP não dispõe dele.

Gran Turismo PSP conta com o maior número de bólides existentes num jogo da série, tendo disponível, na versão final, cerca de 800 veículos. Na demonstração foi possível encontrar alguns carros já clássicos da série, como o potente Toyota Supra ou o italiano Pagani Zonda. No entanto, para aqueles que pensam que este jogo será uma espécie de conversão de GT 4, fiquem a saber que vão estar presentes carros incluídos em Gran Turismo 5, tanto na versão final, como no Prologue, sendo um exemplo disso os já mencionados Nissan GT-R e Ferrari Enzo.

Como sempre, este será um Gran Turismo com gráficos de sonho.

A acompanhar o jogo estão 35 pistas já conhecidas de todos nós, formando um total de 60, com algumas pequenas variações, como o sentido de trânsito. Os percursos que foram oficializados transitaram de antigas versões, não se sabendo se serão adicionadas pistas exclusivas ao título. No entanto, já estão confirmados Nurburgring Nordschleife, Laguna Seca, Trial Mountain, Cote d´Azur, entre outros. Mas não é apenas em alcatrão que GT PSP vai brilhar. Também vão estar disponíveis eventos de rally. Ainda não se trata, infelizmente, do campeonato WRC, mas servirá para matar saudades de pistas como os Alpes Suíços.

Outra ausência previsível é o sistema de danos, ou seja, podemos bater com o nosso bólide a mais de 150 Km/h que este vai ficar intacto. Mas esta decisão é compreensível, visto que Kazunori sempre afirmou que danos só seriam implementados quando a tecnologia os pudesse criar de forma realista, o que numa máquina com o poder da PSP é totalmente impossível.

Marcado com
Sobre o Autor

Tiago Lopes

Contributor

Comentários