Alan Wake Destaques

A Microsoft tem feito um excelente trabalho com a retro-compatibilidade Xbox 360 na sua mais recente Xbox One. Depois de vários clássicos que serviram como apoio a alguns importantes lançamentos em 2015, especialmente com a série Gears of War em apoio à Ultimate Edition do primeiro, a Microsoft continua a utilizar esta funcionalidade da consola para reforçar o valor dos jogos na sua plataforma.

ArtigoAs Desilusões do Ano 2010

Para o que te havia de dar.

Depois das nossas Surpresas do Ano 2010, temos agora nesta época de balanço um novo artigo motivado pelos jogos que não nos deixaram um sabor assim tão doce na boca. São os jogos que em antecipação se apresentavam como experiências altamente entusiasmantes mas que por um ou outro motivo simplesmente não conseguiram estar a par das exigências, e algumas delas nem eram assim tão grandes. Outros casos desiludiram porque os seus estúdios e companhias enveredaram por uma nova direcção modificando radicalmente sobre o(s) anteriore(s) jogo(s) da série e de certa forma podemos até dizer estragaram o que de bom tinha sido feito. Alguns assumiam-se como alternativas viáveis a figuras de proa nos seus respectivos géneros mas cujas desmedidas ambições resultaram num produto desenquadrado com a realidade, mais parecendo um produto nascido sem ambição.

Com os exclusivos de consola para consolas HD cada vez mais raros, a atenção tanto dos media como dos jogadores em títulos desenvolvidos pela própria companhia nunca foi tão intensa. Enquanto jogos multi-plataformas continuam e vão continuar a quebrar barreiras tecnológicas (Bad Company 2 alguém?), o foco está nos exclusivos para ver as consolas a quebrar barreiras, sem o fardo de se terem de acomodar a limitações da plataforma concorrente.

ArtigoAlan Wake

Preso no próprio enredo!

Pese embora as possíveis conexões, Alan Wake dificilmente se estabelecerá no género dos jogos de terror. Os produtores antes inculcam e preferem a denominação de um “thriller” de acção psicológico que encerra alguns elementos de terror, para aquela que é uma das obras mais apetecidas da geração e possivelmente mais vezes adiada. Quer-se feito, mas bem cumprido e talvez por isso, dando cumprimento a um argumento e atmosfera muito específicos, que caberiam num qualquer de Stephen King ou David Lynch, essas podem ser algumas influências.

ArtigoMicrosoft Portugal - 2010

Xbox 360 cresceu 51% no ano passado em Portugal.

Apesar da posição delicada da Xbox 360 no mercado português, onde as competidoras detêm posições e quotas que não podem ser ignoradas, 2009 foi um ano muito positivo para a consola, que conseguiu um elevado volume de vendas. Em números concretos, verificou-se um crescimento de cinquenta e um por cento da base instalada. De tal forma os resultados têm sido positivos que a Microsoft Entertainment & Devices Portugal (que além da marca Xbox, engloba vendas de Hardware e de Office para Mac) foi, em termos relativos, a equipa com o terceiro melhor desempenho mundial no ano que passou.

Alan Wake

Deixa o candeeiro aceso à noite!

Sem pretender competir com o crono, a Remedy já o dissera antes: “Alan Wake estará pronto quando estiver”. O mundo escutou e aguardou, pacientemente, até que na E3, por fim, os produtores subiram ao palco para mostrar uma ínfima porção do jogo. Uma demonstração que logo sossegou os mais ávidos por uma nova imagem que fosse de um dos jogos em estado de produção que congrega mais entusiasmo na cena dos exclusivos para a Xbox 360. Na verdade, apresentado no evento da Microsoft, a X06, há quase 3 anos, ficou a ideia que não seria preciso aguardar tanto tempo para deitar mão a uma experiência que pretendia abrir o peito à fórmula dos “thrillers”, género amado no cinema e na TV, em que a personagem central lida com um ambiente pesado, denso e que lhe estreita o campo de acção, ao mesmo tempo que pende sobre ele o desespero de uma pessoa próxima desaparecida. Mas ao mesmo tempo vinga em Alan Wake uma parte da composição do enredo assente numa vertente sobrenatural o que significa um certo afastamento relativamente a outros títulos como, Resident Evil ou Dead Space, embora tenha alguma aproximação com Alone in the Dark pela projecção e prevalência do ambiente como elemento fundamental na progressão do jogo.