Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Formula 1 2010

Um desejo pela simulação?

O desporto automobilístico mais conhecido e com mais audiência em todo o mundo está de volta para gáudio de todos os adeptos. Com a época de 2010 a decorrer a todo o gás, com mais de metade das provas decorridas, Lewis Hamilton está na frente com apenas três pontos de distância sobre Mark Webber, da RBR-Renault (o meu piloto virtual). Um campeonato ao rubro, com os motores Mercedes a levarem a melhor até ao momento.

Nas lides virtuais, o campeonato começará apenas nos fins de Setembro mas prometendo a mesma dose de emoções e velocidade. Tenho que antes de tudo, que sou, não tanto agora, um aficionado de desportos motorizados. Sempre gostei de velocidade (prova é os acontecimentos mais recentes), e de bons bólides. Imensas foram as tardes de Domingo, com o calor abrasador no exterior, a ver as imensas voltas da Formula 1. Tempos de Prost, Senna, Nelson Piquet, e mais recentemente(Digo eu) com Schumacher.

Esta sensação de velocidade ganhou logo um adepto virtual com a chegada do fantástico jogo do Grand Prix de Geoff Crammond, da Microprose. Depois do suado GP4, nunca mais um jogo de Formula 1 conseguiu pegar na mesma formula(Pleonasmo?) vencedora de Geoff Crammond. Aqui não havia contemplações, um deslize era ver o resto da prova na bancada. Era exigente, mas deveras muito recompensador. Poderia incluir aqui na fatia dos desejados Live for Speed e o seu eterno estado beta, principalmente na sua componente de simulação e necessidade quase fanática de requerer afinações ao milímetro para termos o "tal" tempo desejado.

Muitas foram as promessas a quando da revelação por parte da Codemasters que tinha pegado na licença e queria fazer o melhor jogo de Formula 1. A Codemasters não é uma novata no assunto, muito pelo contrário. GRiD, TOCA e DiRT são um dos recentes exemplos da qualidade do seus produtos. Mas todos estes jogos têm na sua génese uma componente mais arcade, e a maior preocupação para os puristas do F1 é se essa necessidade de agradar a todos estará presente no novo Formula 1.

Para que tudo esteja de acordo com o desejado, a Codemasters faz-se valer do renovado motor de jogo EGO, uma evolução sobre o utilizado em Colin McRae: DiRT 2 e Race Driver: GRID, prometendo simular na perfeição todo o sistema de aerodinâmica e as velocidades acima dos 300kmh. Uma coisa podemos já afirmar, a velocidade está lá, a simulação precisamos de ver a versão final. Não quero com isto dizer que não existe simulação em F1 2010, porque ela existe, mas o mais importante é como as alterações mínimas de afinação dos carros estão de acordo com as alterações do carro em pista.

O jogo está a menos de um mês das lojas, e a versão que nos foi possível jogar não incluía a o Modo Carreira e o Live The Life, bem como alguns circuitos. Temos acesso ao modo Grand Prix, onde podemos criar a nossa própria temporada, escolhendo entre correr apenas X circuitos, em Y voltas, com Z opções. Temos também o Time Trial, onde podemos colocar as nossas melhores voltas online, e ver os melhores nas respectivas tabelas. Em todos os modos, podemos afinar o nosso carro ao milímetro, desde os pneus, aerodinâmicas do carro, altura do carro, camber dos pneus, suspensão, estratégias das idas à box, e outros mais.

Marcado com
Sobre o Autor
Jorge Soares avatar

Jorge Soares

EG.pt Master of Puppets

Sempre ocupado e cheio de trabalho, é ele quem comanda e gere a Eurogamer Portugal. Queixa-se que raramente arranja tempo para jogar, mas quando está mesmo interessado num jogo, lá consegue arranjar uns minutos. Tem mau perder e arranja sempre alguma desculpa para a sua derrota, mas no fundo, é o que todos fazemos.

Comentários