Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Uncharted 2 Beta Multiplayer: Primeiras impressões e vídeo

Digital Foundry em HD com a beta.

A beta de Uncharted 2: Among Thieves da Naughty Dog começou, e atenta ao relógio, a Digital Foundry foi um dos primeiros a descarregar a amostra com 1.2GB de tamanho daquele que acreditamos poder muito bem ser o jogo do ano mais impressionante tecnicamente.

Não há tempo para apreciar gráficos sobre frame rate, apenas duas partes de vídeos intensos retirados da beta e apresentados aqui para o vosso prazer em alta definição total. Primeiras impressões? É bom. É muito bom. Não conseguimos encontrar muito a criticar no Uncharted original excepto pela falta de v-sync e o resultante screen tearing, e podemos confirmar que isto foi completamente corrigido para a sequela. Apesar de não termos tido tempo para renderizar gráficos FPS (frames por segundo), corremos cenas pelo nosso analisador de frames e ao longo de 15 minutos de vídeo, alcançámos uma média de 29.99 FPS. Batalhas intensas podem ver uma descida para 26-28 FPS, mas não o sentem durante a jogabilidade, e é isso que conta.

A Zona de Guerra no Nepal é o cenário para a campanha cooperativa da beta.

Não existem surpresas no local escolhido para a beta, é exactamente o mesmo nível visto na montagem para o jogo que a Naughty Dog lançou anteriormente. No nosso vídeo, três jogadores combinam poderes de fogo e trabalham juntos para resolver puzzles e progredirem pelo nível. Uncharted: Drake's Fortune deu uma pista sobre o potencial do co-op com a inclusão de Elena, mas vê-lo e vivê-lo completamente realizado na sequela é outra coisa. Simplesmente funciona. Em termos da jogabilidade no vídeo, queríamos ser o Drake, mas fomos relegados a 'ser' o Sully. Desculpem. Acontece que, ele é bem duro para um velhote e definitivamente mais activo do que era em Drake's Fortune: acabou-se o passear enquanto o Nate carrega os pesos, em co-op os três jogadores trabalham como parceiros iguais.

Uma amostra da acção dos mapas Plaza e Village.

Vídeo dois: uma amostra dos modos competitivos. Tipicamente é heróis contra vilões ao longo de dois diferentes mapas, com apenas uma amostra das variações em oferta (para a beta pelo menos): Todos Contra Todos tradicional, mais o modo de procurar e capturar o tesouro. Podem obter uma ideia da acção frenética no vídeo: novas opções, novas armas, uma granada mais intuitiva e sistema de armazenar objectos, é diversão excelente. Para quem vem do modo para um jogador, definitivamente é preciso tempo para se adaptar, se bem que Uncharted condiciona-te a lutar numa única frente, com o sistema de cobertura a dar-te um descanso temporário e a permitir que recuperes. Neste modo, podes ser atacado de qualquer lado a qualquer momento. Nenhum local é seguro.

Em termos de criticismo à beta, parece que estou a passar mais tempo a olhar para o ecrã de criação de jogo do que passo a jogar o jogo - frustrante pois esperei tanto para deitar as mãos a Uncharted 2. Posso passar por esperas entre cinco a dez minutos só para encontrar alguém para jogar. Agora, a verdade do assunto é que estou a correr a beta US fora da Terra dos Livres, por isso pode muito bem ser que a remota localização geográfica do lar da Digital Foundry está a servir para me expulsar de muitos dos servidores disponíveis. O que é estranho, porque uma vez ligado, tenho poucos problemas relacionados com lag. O sistema de previsão usado para compensar a latência da rede é excelente: sem congelamentos, sem desaparecerem/reaparecerem adversários, sem súbitas, inexplicáveis mortes. Fora os estranhos tempos onde estás a meter múltiplos tiros na cabeça do teu adversário sem efeito, parece local, a sensação é justa e não consegues melhor do que isso.

Portanto, é tudo boa coisa. A beta de Uncharted 2 enche e ultrapassa as minhas expectativas, especialmente em termos do modo co-op. Mas após ter sido mimado pela sequência do modo para um jogador revelada ontem à noite na conferência Sony, não posso deixar de desejar mais. Dedos cruzados para que a espera não seja longa.

Marcado com

Sobre o Autor

Richard Leadbetter avatar

Richard Leadbetter

Technology Editor, Digital Foundry

Rich has been a games journalist since the days of 16-bit and specialises in technical analysis. He's commonly known around Eurogamer as the Blacksmith of the Future.

Comentários