Skip to main content

Stellar Blade | Exclusivo PlayStation 5

Reserva Já - Lançamento a 26 de abril

Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Firesprite da PlayStation acusada de toxicidade

Está a perder talento aos poucos.

Image credit: Firesprite

A Firesprite faz parte das produtoras PlayStation Studios afetadas pelos despedimentos anunciados ontem pela Sony Interactive Entertainment, como parte de ajustes na postura da companhia, o que também resultou no alegado cancelamento de um novo Twisted Metal, que nem sequer foi comunicado publicamente.

No entanto, de acordo com relatos de ex-funcionários, a Firesprite já estava a perder talento devido à cultura tóxica, o que motivou uma investigação ao local de trabalho antes do anúncio dos despedimentos.

Os nossos colegas do Eurogamer avançam que o estúdio de Liverpool não recuperou do “crunch” para terminar Horizon Call of the Mountain em 2022 e as mudanças na liderança. Uma das fontes, que pediu anonimato, disse que o estúdio está a “morrer aos bocados”.

As fontes do Eurogamer em Inglaterra relatam ainda que dois líderes da Sony XDev foram recrutados para ajudar a liderar a Firesprite e pioraram as coisas, sendo agora alvo de acusações de discriminação sexual e preconceito de idade. A Sony investigou as queixas, mas foi deliberado que se tratou tudo de um desentendimento.

Além de Twisted Metal, a Firesprite estava a trabalhar noutro jogo de alto perfil, igualmente cancelado, mas nos últimos meses de 2023 a produtora perdeu um “número alarmante” de funcionários pois em outubro foi decidido não pagar um prémio na tentativa de os manter na produtora durante mais tempo.

Algumas acusações, muitas delas publicadas no Glassdoor, site usado para avaliar as companhias e informar possíveis interessados sobre o local onde vão trabalhar, falam de uma cultura tóxica, liderança sem a competência para gerir o estúdio e criativos, com muitos funcionários a lamentar a saída dos fundadores originais do estúdio, e queixas de uma equipa de recursos humanos muito pequena para lidar com perto de 300 funcionários.

No entanto, no meio disto surgem acusações muito mais graves. Pelo menos treze relatos de discriminação sexual e preconceito de idade contra os dois novos líderes enviados pela Sony para a Firesprite, algo que foi investigado pela Sony e considerado de “mal entendido”. No entanto, fontes informaram o Eurogamer que alguns decidiram explorar ações legais e receberam um pagamento da Sony.

Sign in and unlock a world of features

Get access to commenting, newsletters, and more!

Related topics
Sobre o Autor
Bruno Galvão avatar

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.
Comentários