Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Final Fantasy 15 acima dos 10 milhões de unidades vendidas

O sonho de Luna.

Final Fantasy 15 alcançou um importante marco nas suas vendas e certamente deixará a equipa responsável pelo jogo feliz por alcançar um dos mais importantes objetivos traçados para medir o seu sucesso em todo o mundo.

A Square Enix revelou que já vendeu mais de 10 milhões de unidades de Final Fantasy 15, o polémico lançamento na série japonesa que, após iniciar a sua vida como Versus 13 foi transformado a versão que eventualmente chegou às lojas. Esta nova versão, retalhada a partir da visão original, recebeu imensos elogios, mas também críticas.

Após ser apresentado ao mundo em 2006, o Versus 13 de Tetsuya Nomura foi revelado ao mundo como Final Fantasy 15 em 2013 e após isto, a equipa liderada por Hajime Tabata (que ficou com a tarefa de terminar o projeto infernal) lançou finalmente o jogo em novembro de 2016.

Agora, cinco anos e meio depois, Final Fantasy 15 alcançou a meta de 10 milhões de unidades vendidas. Isto significa que pelo menos 10 milhões de almas já escutaram os magistrais temas compostos por Yoko Shimomura enquanto caminhavam pelo mundo imaginado pela Square Enix para este seu esforço.

Eis o que dissemos na nossa análise:

Final Fantasy XV é um satisfaz que nos deixa a respirar de alívio, mas com o coração dorido porque esperava-se um excelente. É um jogo que consegue divertir imenso e de várias formas eleva a novos patamares muitos dos conceitos e referências que nos apaixonaram na série Final Fantasy, especialmente devido ao mundo aberto. No entanto, a história desconexa, o mau ritmo da experiência, o mau aproveitamento do lore e dos personagens, e acima de tudo um sistema de combate manchado por uma má inteligência artificial, fazem-nos acreditar que Final Fantasy XV está muito abaixo do potencial. É um diamante que ficou por polir, repleto do brilhante potencial mas sem o refinamento que merecia. A Square Enix e a equipa de Hajime Tabata têm todo o nosso respeito nesta árdua tarefa, e conseguem um belo final, mas sendo um trabalho desta casa e nesta série, é preciso algo mais coeso, robusto e satisfatório.

Sobre o Autor

Bruno Galvão avatar

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Comentários