Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Fight Night Round 4

As lendas do boxe.

O pugilismo é um desporto muitas vezes polémico, muitas vezes alvo de duras críticas pela sua violência e muitos são os que não o consideram como um verdadeiro desporto. É claro que há quem o aprecie e até o reconheça como uma forma de arte ou uma manifestação física da capacidade humana. Seja como for, o pugilismo é um desporto apenas acessível aos melhores, mais capazes e predestinados.

A série Fight Night surge pela segunda vez nas consideradas consolas de nova geração, e o que posso desde já dizer é que está melhor do que nunca. O suor, as expressões faciais dos lutadores, a sua constituição física, a emoção dos combates, tudo está o mais realista possível. Já em Fight Night Round 3 tínhamos assistido a um enorme salto qualitativo em termos visuais, mas este quarto capítulo da série eleva ainda mais a fasquia nessa vertente.

Mas Fight Night Round 4 não é só grafismo, o novo motor de jogo possui uma física bastante melhorada. As expressões faciais dos lutadores quando encaixam um golpe, como por exemplo um uppercut, são impressionantes. Isso é bem visível durante um replay em câmara lenta onde podemos observar as ondas de choque a percorrer o rosto do adversário. É claro que Fight Night Round 3 já o tinha, mas neste novo jogo o realismo é ainda maior.

Realmente o que salta logo à primeira vista é o grafismo do jogo e claro o enorme detalhe dos pugilistas. É impressionante a sua caracterização a nível muscular e a representação do suor nos seus corpos transpirados. Mas nem tudo está com a mesma qualidade visual, todo o espaço exterior está uns furos abaixo, mas será que isso importa?

Não podia deixar de referir que neste quarto título da série vamos ter o privilégio de lutar com algumas das lendas da história do boxe. Temos Muhammad Ali, Mike Tyson, Lennox Lewis e muitos mais.

Um uppercut bem encaixado pode fazer toda a diferença.

Apesar das muitas semelhanças com o seu antecessor este Fight Night Round 4 consegue ser ainda mais real. Um dos exemplos é a boa caracterização dos lutadores, não só em termos visuais mas também nos seus estilos particulares de combate. Os mais conhecedores deste desporto vão rapidamente distinguir quem está no ringue, pois a representação do estilo de combate de cada pugilista está muito próxima da realidade.

Outra diferença que se nota é a velocidade de combate, nesta quarta versão o jogo é mais rápido mas em contrapartida é bastante mais táctico. Em Fight Night Round 3 a animação dos golpes, e até mesmo dos pugilistas, era o mais perfeita possível, neste quarto título a perfeição das animações é um pouco preterida, dando primazia a um estilo de jogo mais rápido em que o encadeamento de golpes é efectuado com maior rapidez e até com maior realismo. É uma delícia quando desferimos num curto espaço de tempo três ou quatro golpes bem encadeados que deixam o nosso oponente em bastante mau estado.

É necessário escolher bem o momento em que desferimos os nossos golpes. Temos que estudar bem o adversário, analisar o seu estilo e procurar pelas suas fraquezas. Quando estamos em combate é de evitar ao máximo efectuar golpes que não atinjam no adversário, sempre que tal acontece podem ter a certeza que o nosso adversário não vai perdoar. Um golpe mal efectuado é rapidamente respondido com um contragolpe que muitas vezes é letal, fazendo-nos cair completamente inanimados no tapete.

Fight Night Round 4 promete muito e também oferece mais do que o seu antecessor, seja em grafismo, realismo, número de pugilistas e até em opções de jogo. Temos assim um jogo bem sólido e capaz de suplantar a versão anterior. Destaco novamente a presença de lutadores como Muhammad Ali e Mike Tyson pois a enorme legião de fãs deste desporto certamente que irá vibrar.

Descobre como realizamos as nossas análises, lendo a nossa política de análises.

Sobre o Autor
Adolfo Soares avatar

Adolfo Soares

Director

É o nosso homem do PC, por isso qualquer coisa é com ele. É também responsável pelo Eurogamer, bem como dá uma perna nas notícias.

Comentários