Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

FIFA 23 e a procura por maior realismo com a HyperMotion2

A tecnologia evoluiu para aumentar a diversidade de movimentos únicos.

A EA Sports revelou-nos novos detalhes sobre FIFA 23 e como olhou mais uma vez para a tecnologia HyperMotion para encontrar evolução sobre o jogo anterior. A ideia da equipa é melhorar a sua própria tecnologia para ir ao encontro do que pretende, alcançar maior realismo através da diversidade dos pequenos detalhes que acabam por diferenciar com maior visibilidade os jogadores e gestos.

As evoluções feitas na tecnologia de captura de movimentos e recriação digital motivaram uma evolução no próprio nome, HyperMotion2, que de acordo com os principais responsáveis por FIFA 23, é fruto de novos esforços para tornar mais fácil de identificar os atletas de topo que te fazem vibrar com o jogo bonito.

Segundo explicado, a inteligência artificial foi reforçada com mais partidas 11v11 para que a máquina aprenda com cada movimento e possa expandir a sua compreensão de como representa com maior realismo os movimentos e dinâmicas dos jogadores em campo. Ao capturar os movimentos durante duas partidas com jogadores profissionais, a EA Sports conseguiu reunir estas imagens e informações para que a máquina possa aprender mais e melhorar.

O nome técnico completo de uma das mais valias das versões PlayStation 5, Xbox Series, PC, e Stadia de FIFA 23 é "Full Team Authentic Motion", os seus esforços para conferir maior autenticidade aos movimentos dos jogadores. A tecnologia HyperMotion2 foi aprimorada graças a um jogo 11v11 feminino e outro 11v11 masculino, em Zaragoza, Espanha, pois a EA Sports diz que a grande novidade da edição do ano anterior merecia melhorias e igual destaque na nova edição de 2022.

Esta avançada tecnologia de movimento e autenticidade na animação é muito importante para a EA Sports, seja no futebol masculino ou feminino, uma vez que a autenticidade é uma das palavras chave de FIFA 23. Se acompanhaste as revelações, viste que agora terás campeonatos femininos a apresentar movimentos credíveis e personalizados, sendo uma das formas de alcançar evolução.

Isto é aprofundado com mecânicas gameplay essenciais à série e, através das quais, a EA Sports recria com maior autenticidade os atletas de topo para que sintas que estão mais perto das versões reais quando os vês em movimento no jogo. Existem 4 mecânicas pilares na HyperMotion 2.

A EA assegura que refinar a HyperMotion significa maior autenticidade na recriação do futebol real, com maior variedade de comportamentos que dinamizam o futebol digital.

Technical Dribbling é outro elemento da série FIFA que está de volta. Sam Rivera, produtor responsável pela experiência de jogo, assegurou-nos que vais sentir de imediato as melhorias criadas para o drible e como será muito mais fácil perceber a diferença entre os jogadores de classe mundial e o resto. A versão apresentada em FIFA 22 foi melhorada e agora terás a melhor versão desta tecnologia.

Manual Jockey é uma das ferramentas mais importantes do gameplay de FIFA, especialmente para defender e tentar recuperar rapidamente a bola. Poderá separar um bom jogador de um jogador mediano. O MJ recebeu melhorias graças à aprendizagem da máquina, executada pela EA Sports com a ajuda de jogadores e jogadoras. Isto deu imenso que falar em FIFA 22, especialmente conciliado com as animações extra da HyperMotion na PS5 e Xbox Series, por isso teremos de ver como está.

AcceleRATE é uma nova mecânica através da qual a EA Sports pretende alcançar maior autenticidade. Existem 3 arquétipos de Aceleração: Controlada, Distância e Explosiva, o gameplay partilhado mostrou bem a diferença. Um jogador Explosivo, como Mbappé por exemplo, acelera com grande rapidez e velocidade, enquanto o jogador com aceleração à distância arranca mais lento, mas também consegue eventualmente alcançar esse ritmo e até ir mais longe ao mesmo ritmo. O jogador de aceleração controlada é um misto dos outros dois tipos.

Os Power Shots são remates mesmo muito potentes, mas demoram mais tempo a preparar e podes ser desarmado ou até pode ir para fora, mas quando batem na rede dão mesmo gosto.

A EA Sports adora apresentar nomes técnicos para melhorias, torna mais sonante a simples correção de comportamentos ou falhas em edições anteriores. O exemplo é a Kinectic Goalkeeper, que permitirá mostrar guarda-redes que reagem de forma muito mais realista a momentos como cruzamentos. Estão mais cientes das posições e das animações a executar, tudo para maior autenticidade visual e para que não sintas que assistes a tantas cenas embaraçosas, com movimentos ridículos dos jogadores.

As novidades sobre as melhorias que justificam acrescentar o "2" no final de HyperMotion mostram que FIFA 23 terá diversas correções, otimizações e refinamentos sobre FIFA 22. Basicamente, a EA Sports parece ter corrigido os problemas com a implementação da tecnologia e que foram criticados pela comunidade ao longo dos últimos meses. Não é à toa que a maioria dos jogadores profissionais jogam as versões de anterior geração nas consolas de atual geração.

FIFA 23 parece resolver esses problemas relacionados com a tecnologia de animação e tornar mais fluído o movimento, sempre com o desejo de ser mais realista e representar melhor o que os melhores atletas do mundo fazem no relvado. No entanto, há mais em FIFA 23 do que melhorias para a atual geração, nomeadamente refinamentos e novidades cross-gen que vais reparar mesmo jogando na Xbox One ou PS4.

A equipa trabalhou para refinar o gameplay e aumentar a diversidade de animações personalizadas. Além disso, afirma que FIFA 23 será mais dinâmico e mais imprevisível.

Kantcho Doskov, diretor de design para o gameplay, falou-nos sobre como as melhorias nas animações e a busca por autenticidade permite apresentar remates poderosos, os novos Power Shots, que demoram mais tempo a preparar, mas quando consegues executar com sucesso e a bola bate na rede, saberá muito bem. Não penses que de repente FIFA 23 se tornou num jogo de "Oliver e Benji", existe prós e contras no uso dos Power Shots. Nada está garantido e, como tudo, existem formas e momentos certos para os usar.

Talvez em nome da melhoria ou simplesmente na necessidade de mudar por mudar para mostrar algo diferente (ainda terei de jogar FIFA 23 mais tempo para perceber), a EA Sports melhorou os momentos como livres, cantos e até as grandes penalidades. No caso de alguns destes momentos, estão totalmente diferentes do que viste em FIFA 22. Nas grandes penalidades, terás um círculo em torno da bola que expande e encolhe a grande ritmo, quando o círculo está apenas debaixo da bola é quando deves pressionar o botão de rematar. No entanto, o ritmo muda de acordo com jogador.

Existem diversos momentos que mostram diferenças sobre FIFA 22, frutos de um trabalho conduzido por lemas como variedade. Seja a defender ou a rematar, a equipa trabalhou para criar momentos diversificados que te afastam da sensação de uma experiência robotizada. Aqueles remates em que a bola até pode bater no chão e ganhar efeito, remates em que o jogador bate a bola no peito e remata com efeito ascendente, a EA Sports trabalhou para combinar autenticidade, variedade e mais ferramentas para construires o teu gameplay.

Jogadores como Vinicius Jr. vão mostrar animações personalizadas, para maior autenticidade, um dos lemas de FIFA 23

Isso até será mais percetível na corrida dos jogadores. Atletas de gabarito mundial, que correm de forma muito própria, como Vinicius Jr ou Mbappé, com movimentos corporais muito característicos, receberam animações personalizadas, para que reconheças de imediato o jogador, sem sequer olhar para o nome.

Após isto, resta falar dos movimentos de habilidade, uma das principais armas de muitos jogadores. Foram colocados diversos novos movimentos de habilidade que poderás descobrir, através dos quais a EA Sports quer manter o seu mantra de autenticidade, combinada com diversidade. Isto também se aplica às animações contextualizadas com os momentos. O exemplo dado foi um guarda-redes cuja visibilidade para a bola está tapada por um defesa, isto poderá fazer com que demore mais tempo a reagir ao remate.

É inegável que existem imensas melhorias em FIFA 23 relativas à edição do ano passado, mesmo que muitas delas sejam nos bastidores, em elementos fulcrais que não são tão percetíveis ao jogar. Seja na inteligência artificial, movimentos de guarda-redes ou diversas set-pieces. No entanto, é a busca por mais autenticidade que promete dinamizar o gameplay de FIFA 23, mesmo que não seja uma revolução. É futebol de continuidade que conta com tecnologias como a HyperMotion2 para refinar o que veio antes.

Sobre o Autor

Bruno Galvão avatar

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Comentários