Skip to main content

Stellar Blade | Exclusivo PlayStation 5

Reserva Já - Lançamento a 26 de abril

Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

F1 23 - Forte esforço por novidades de relevo

Apex quase perfeito.

Uma apresentação que evidência um verdadeiro esforço em trazer novidades de relevo. Reestruturado a vários níveis, para dar ao jogador mais conteúdo, seja em variedade e qualidade.

F1 23 marca aquela altura do ano, a da apresentação anual de mais um lançamento da EA Sports e Codemasters, título que representa a categoria rainha dos desportos motorizados de quatro rodas, a Fórmula 1. O intervalo temporal entre lançamentos é curto, parece que foi ontem que estive neste mesmo papel ao analisar o trabalho do ano passado. É realmente pouco tempo para modificações profundas numa série que todos os anos tem a gigante tarefa de representar este desporto tão icónico.

Aqui temos então a chegada de F1 23 com um semblante um tanto renovado, apresenta-se na grelha de partida com algumas novidades que podem até surpreender os mais céticos. São modificações que reestruturam vários aspetos, como a interface e menus, até novas formas de se jogar. Também vemos a recuperação do seu modo narrativo com Braking Point 2, uma continuação da história da rivalidade explosiva entre Aiden Jackson e Devon Butler, com novos enredos para apimentar um pouco as coisas.

Narrativa expandida em Braking Point 2

Braking Point 2 é de facto mais proeminente nesta nova interação, é dado mais realce a esta vertente e convida o jogador a uma boa dose de capítulos dedicados à vida nos bastidores da Fórmula 1. Assumimos vários papeis, de várias personagens centrais, seja as dos pilotos e até dos patrões da equipa Konnersport. Foram melhorados vários aspetos aqui, saltando logo à primeira vista as cinemáticas. Estão agora mais reais, receberam um bom upgrade em qualidade visual, seja na captura de movimentos faciais e comportamento corporal geral dos personagens. Mas saliento que nem tudo levou o mesmo tratamento, existem secções onde é utilizado o motor de jogo em tempo real, como no pódio ou até nas entrevistas rápidas após as corridas, aqui a qualidade desce substancialmente e observa-se uma movimentação demasiado robotizada e pouco convincente.

A estrutura em Braking Point 2 é de uma viajem por vários momentos capitais de uma temporada de Fórmula 1, temos de completar desafios dentro de cada corrida apresentada. A forma como atingimos os objetivos dita também as recompensas a receber, depende sempre da nossa prestação, quando somos nós a controlar os acontecimentos, já que por vezes o script é que manda. Também temos de efetuar escolhas no relacionamento com quem nos rodeia, sejam os elementos da nossa equipa e até com a imprensa. Estas interações dão lugar a recompensas, obviamente influenciadas pelas nossas respostas e que vão alterar os parâmetros do desempenho e reputação.

Mergulhar numa trama que mais parece um filme, dedicado ao que pode acontecer em muitas das equipas reais de Fórmula 1.

Confesso que gostei de Braking Point 2, é uma forma de mergulhar numa trama que mais parece um filme, dedicado ao que pode acontecer em muitas das equipas reais de Fórmula 1 e que nem sempre saltam para o conhecimento do público. Tem como tarefa de acrescento ao pacote global de F1 23, e consegue esse efeito com a força que o Braking Point de F1 21 não conseguiu.

Ver no Youtube

F1 World

No entanto, F1 23 apresenta também uma nova estrutura, uma nova abordagem. Temos agora a introdução do F1 World, local que centraliza muito do conteúdo. É o centro de uma experiência mais virada para o próprio jogador, onde temos a já habitual personalização do nosso avatar e carro, troféus conquistados e o showroom com as nossas máquinas. Depois existe a secção Garagem, dedicada a modificações que se aplicam ao carro para melhorar o seu desempenho.

Para competir, há muito por onde escolher no F1 World. Temos as Séries, que nos colocam em determinados cenários com objetivos a cumprir para se passar ao próximo. De seguida existem os Eventos, que tanto podem ser para um jogador ou em modo multijogador. Nos Eventos voltamos a ter objetivos, conforme a nossa prestação as recompensas também serão diferentes, o nosso desempenho é importante. Isto tudo é conduzido para mais uma secção de recompensas, denominada por Goals, que são nem mais nem menos uma forma de se adquirir XP extra para o Podium Pass bem como outros recursos. Podemos identificar os Goals como algo passivo que se completa com o tempo à medida que vamos competindo pelos diversos modos.

F1 World, local que centraliza muito do conteúdo. É o centro de uma experiência mais virada para o próprio jogador.

Super Licença e Tech Level

Estas estruturas e modos de jogo giram em redor de uma nova construção de piloto e carro. Somos catalogados com uma Super Licença, temos de a melhorar para dessa forma aceder a desafios mais exigentes. Muitos dos modos referidos anteriormente no F1 World estão diretamente ligados à nossa Licença e ao Tech Level do nosso carro. Estes parâmetros atribuem uma nova exigência a F1 23, há realmente aqui empenho em trazer algo que incentiva jogar, competir, recompensando muito o jogador pelo seu tempo.

F1 World é na realidade uma boa estruturação e um grande incentivo ao jogador em executar diversificadas formas de competir. Tudo contribui para melhorar o nosso carro, ao mesmo tempo que avançamos no Podium Pass para desbloquear ainda mais recompensas. Além das formas distintas de se competir, temos os modos de jogo de sempre, voltam a estar presentes e não há muito para explicar. Corridas personalizadas, contrarrelógio, carreira, corridas online, e por aí adiante.

A nível de alterações das físicas e do comportamento dos carros, consegue-se notar melhorias subtis, como a capacidade de se controlar o carro em momentos críticos, desde travagens menos eficazes e perda de aderência na saída das curvas. Também senti uma evolução no feeling da pista, seja da aderência no asfalto e até às irregularidades dos corretores. Os carros são replicas fiéis aos que vemos nas pistas de Fórmula 1, cada um com um detalhe impressionante, seja visual e até sonoro. Cada motor tem o seu próprio som, e isso é sentido logo assim que nos colocamos ao volante das diferentes marcas.

Enorme esforço empregue pela Codemasters na melhoria da condução através do comando

Obviamente que o ideal é jogar-se F1 23 de volante e pedais, mas nem todos tem essa possibilidade. É aqui que entra o enorme esforço empregue pela Codemasters na melhoria da condução através do comando, é mesmo admirável a evolução. Em F1 22 era um enorme desafio, mas agora com este novo sistema qualquer piloto em F1 23 consegue um desempenho de alto calibre. As medidas implementadas são mesmo eficazes, é como uma nova forma de se jogar. Conseguimos agora sentir todos os pormenores do carro, o controlo das trajetórias é mais eficaz, as travagens e acelerações são também muito mais controladas e sentidas. Depois temos ajustes infindáveis nas opções do comando para colocar a condução à medida de cada um.

Ver no Youtube

Grafismo precisa um salto em qualidade

Já se denota alguma idade no motor de jogo.

Agora vem o Calcanhar de Aquiles de F1 23, o seu grafismo geral. Já se denota alguma idade no motor de jogo aqui utilizado, apesar dos carros estarem com um aspeto muito bom. Há a necessidade de se dar o próximo passo, introduzir um visual mais arrojado e largar de uma vez as consolas da anterior geração (PS4 e Xbox One). Joguei na PlayStation 5, e depois de jogar outros títulos de corrida é evidente que tanto a PS5 como a Xbox Series X conseguem bem melhor, para não falar do PC. Não posso deixar de mencionar o mau aspeto dos reflexos ray tracing dos carros na PS5, a resolução é tão baixa que mais valia serem removidos e substituídos por reflexos Screen Space.

F1 23 é um bom esforço da parte da Codemasters, numa franquia que é lançada ano após ano. É uma tarefa complicada implementar novidades de peso em apenas 12 meses, mas desta vez notou-se que se esforçaram. Temos um Braking Point 2 mais apetecível, um F1 World recheado de competições e desafios, e a implementação da Super Licença e Tech Level que dão a profundidade que faltava. Quem temia a possibilidade deste ser apenas um ano dedicado à atualização dos pilotos e carros, pode ficar descansado. Esta temporada é das melhores dos últimos tempos no universo das corridas virtuais de Fórmula 1.

Prós: Contras:
  • Temporada oficial de Fórmula 1
  • F1 World, Super Licença e Tech Level são uma boa combinação
  • Jogar de comando está melhor que nunca
  • Físicas melhoradas, maior feedback dos carros em pista
  • Grafismo precisa de um salto qualitativo
  • Mensagem constante da comunicação com os servidores

Sign in and unlock a world of features

Get access to commenting, newsletters, and more!

Descobre como realizamos as nossas análises, lendo a nossa política de análises.

In this article

F1 23

PS4, PS5, Xbox One, Xbox Series X/S, PC

Related topics
Sobre o Autor
Adolfo Soares avatar

Adolfo Soares

Director

É o nosso homem do PC, por isso qualquer coisa é com ele. É também responsável pelo Eurogamer, bem como dá uma perna nas notícias.
Comentários