Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Ex-funcionária da Valve abre processo por discriminação

E acusa a companhia de explorar menores.

Uma ex-funcionária da Valve, responsável por traduções para espanhol, abriu um processo legal contra a companhia exigindo uma compensação superior a $3 milhões, alegando que foi discriminada depois de passar por uma cirurgia de mudança de sexo.

Tudo começou quando a funcionária, que no processo apenas é referida pelas suas iniciais, pediu à Valve, sediada em Washington, para se deslocar para Los Angeles para ser submetida a uma cirurgia de mudança de sexo.

A Valve concordou, mas alterou o estatuto do contrato. De funcionária passou a ser trabalhadora independente, no entanto, de acordo com a queixosa, isto não passou de uma formalidade, já que continuou a desempenhar as mesmas tarefas na companhia e a receber à hora, em vez de receber por cada projecto, tal como é habitual nos trabalhadores independentes.

Todavia, esta mudança no contracto fez com que a queixosa perdesse os seus benefícios de saúde e ficasse impedida de receber pelas horas extras de trabalho. A ex-funcionária também se queixa do seu supervisor, Torsten Zabka, que depois da cirurgia, começou a referir-se à queixosa como "uma coisa", um termo derrogatório para uma pessoa transexual.

A juntar a estas queixas, a ex-funcionária acusa a Valve de se aproveitar das pessoas, sobretudo de menores, para traduzirem de graça, com a promessa de que no futuro poderão ter direito a um trabalho pago dentro da companhia. Devido a esta situação, a ex-funcionária preencheu uma queixa contra as condições de trabalho na Valve. Dias depois foi despedida.

Como resultado do seu despedimento e das acções da Valve, a queixosa afirma que continua a sofrer de "Stress pós-traumático, humilhação, vergonha, desespero, assédio, depressão, stress, ansiedade, medo, dor mental e angústia." Como compensação pede $1 milhão em danos gerais, outro $1 milhão em danos especiais, $1 milhão por perda de rendimentos, e mais $150 mil por salários não-pagos.

A Valve já respondeu ao processo e negou tudo.

Sobre o Autor

Jorge Loureiro avatar

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Comentários