Skip to main content

EA questiona o futuro dos free-to-play nas consolas

Acredita que ambos os modelos podem co-existir.

Os free-to-play estão em ascensão, principalmente nos smartphones e tablets, mas Patrick Söderlund, responsável pelos estúdios da Electronic Arts, não está convencido que estes jogos serão capazes de substituir por completo os jogos inseridos no modelo tradicional.

"Apenas há 18 meses, a maioria dos jogos mobile eram downloads completos. Agora, diria que 90 porcento são freemium," disse Söderlund ao MCV. "Esta mudança aconteceu rapidamente. Não sei se o mesmo acontecerá nas consolas".

"Penso que o mercado das consolas é diferente do mercado mobile. Os jogos mobile são muito mais baratos. É como nos filmes. O Youtube é de graça, mas para veres o Gravity no cinema, pagas dinheiro. Uma coisa não elimina a outra".

Para Söderlund, ambos os modelos podem co-existir devido à preferência de alguns de pagar para obter um produto completo.

"Algumas vezes quando estou a jogar os freemium sinto que 'estes tipos só querem mais dinheiro'. Quando pago $60 pelo Battlefield, sei o que vou receber. Acho que existem por aí jogadores com a mesma preferência. Não é o caso de um ou outro, ambos podem co-existir e acredito que também pode existir híbridos".

Lê também