Skip to main content

Dredge - Engenhoso

Muito mais do que aparenta à primeira vista

Image credit: Black Salt Games
Eurogamer.pt - Recomendado crachá
Torna-se num autêntico vício com o seu ciclo gameplay, graças a mecânicas robustas e bem executadas. O que começa como um aparente jogo de pesca e gestão, torna-se numa aventura singleplayer de grande mistério e terror cativante.

Descrito como uma "aventura singleplayer de pesca", Dredge é das produções indie mais engenhosas que vi nos últimos tempos. É um jogo verdadeiramente inteligente e cujo fascínio está na singularidade da sua proposta, alcançada através da manipulação de conceitos gameplay bem conhecidos, apoiado por bons controlos, para conquistar um ciclo de interatividade no qual facilmente ficas agarrado.

Dredge da neo zelandesa Black Salt Games quase pode ser descrito como um RPG de pesca, mas o seu "gancho" surge quando descobres a sua narrativa de terror cósmico. Tudo começa como uma simples experiência de pesca. Na fase introdutória, terás o expectável ciclo de pescar, vender peixe e melhorar o barco para chegar mais longe, mais rápido, sem esquecer a capacidade de pescar mais peixes. No entanto, a corrente inesperadamente intensifica quando descobres uma narrativa de mistério com estranhas criaturas a navegar nas profundezas deste arquipélago de ilhas.

Quando começas a sair da doca para pescar, o teu barco é muito lento e com pouca capacidade de carga. Não te podes afastar muito dos dois locais iniciais pois quando a noite surge, começa a surgir o cansaço, a paranoia e estranhas criaturas. Começam a surgir peixes sobrenaturais e até rochas vindas do nada que podem danificar ou afundar a embarcação. Se isso acontecer, terás de reiniciar do último save.

Graças a diversas personagens, especialmente o Colecionador, tens diversos motivos para te aventurar cada vez mais longe, na forma de missões secundárias nas quais ganhas recompensas. Existem 5 ilhas principais com objetivos específicos para a narrativa principal e missões secundárias. Também terás a opção de pescar tesouros para vender e até materiais para obter melhorias no barco.

Ver no Youtube

Pescar para obter dinheiro, o que permite melhorar o barco e navegar até locais mais distantes, com a possibilidade de transportar maior carga. Decidir onde melhor usar os raros materiais que encontras, gerir o ciclo dia e noite para impedir que o pânico que surge à noite resulte em acidentes fatais e acompanhar a narrativa repleta de mistério, é o que Dredge te convida a fazer e por mais simples que seja descrever a experiência, não deixa de ser engenhosa e uma interpretação inteligente de padrões comuns na indústria.

Existe um forte equilíbrio e coesão na experiência que é Dredge, com o passar do tempo e o ciclo dia/noite a ter grande importância. Quando navegas e pescas o tempo passa, terás de comprar melhorias para te ajudar (incluindo melhor luz) para impedir alucinações fatais durante a noite, mas é a constante sensação de perigo e mistério sobrenatural que realmente ajuda o esforço deste estúdio a destacar-se. Tornou-se num vício e até ver um dos finais, algo que demorou quase 7 horas, não consegui parar de jogar.

Dredge é um jogo inteligente e com muito engenho na forma como é capaz de surpreender e agarrar o jogador. À tona, é um jogo de pesca e gestão com um ciclo gameplay que conquista sem atritos, mas é quando mergulhas nas suas águas que já não consegues escapar ao seu isco. O terror cósmico que une toda a narrativa vai-te deixar tão obcecado por descobrir o que se passa aqui tanto quanto o gameplay para melhorar o barco.

Prós: Contras:
  • Uma aventura singleplayer com incrível sensação de mistério e terror
  • O ciclo gameplay agarra e torna-se divertido
  • Os minijogos de pesca são simples e divertidos
  • Visualmente simples, mas eficaz
  • A banda sonora minimalista cumpre bem o propósito
  • É um jogo que poderá exigir alguma paciência no início
  • Poderá tornar-se confuso perceber o que fazer em alguns momentos

Lê também