Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Double Fine defende direito ao aborto nos Estados Unidos

Diz que mudar a lei é negar direitos humanos.

A Double Fine é a mais recente companhia na indústria dos videojogos a reagir oficialmente e publicamente à possível alteração na lei dos Estados Unidos que tornará ilegal o aborto.

Depois da Bungie, a Double Fine reage e fala em negar direitos humanos se a lei que dura há mais de 50 anos no país for cancelada. Na sua mensagem, o estúdio diz que é a favor dos cuidados de saúde para todos.

A Double Fine, que pertence à Microsoft, diz que a decisão de cancelar essa lei "iria negar às pessoas os seus direitos humanos e afetar diretamente as vidas, liberdades e escolhas de todos neste país."

"Para os que podem, encorajamos doar a uma organização que luta por estes direitos."

Esta mensagem, apesar de mais curta, faz eco daquela que foi partilhada pela Bungie e faz um apelo à luta pelos direitos e liberdades de todos os habitantes dos Estados Unidos, país de origem destas duas companhias cujos funcionários serão diretamente afetados pelas leis decretadas.

A Bungie foi duramente criticada por se manifestar publicamente sobre a política dos Estados Unidos, mas afirmou que jamais o deixaria de fazer quando sentisse ser necessário, uma vez que os seus funcionários são humanos e são afetados pela política do país.

Sobre o Autor
Bruno Galvão avatar

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Comentários