Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

PlayStation Phone: Análise às especificações

O DF avalia os detalhes de equipamento revelados.

Não é bem sobre a tecnologia – é mais sobre os botões. Baseado nas especificações do PSP Phone antecipadas pelo site Chinês IT268 e descobertas pelo Engadget, o PlayStation Phone é razoavelmente poderoso, mas não um estrondoso performer. No entanto, a inclusão de um controlo ao estilo da PSP significa que a experiência de jogo vai ser radicalmente diferente, e talvez obviamente mais apelativa para o jogador tradicional.

As informações do IT268 sugerem um aparelho bem aproximado da PSPgo em termos do factor forma, assumindo a forma de um telemóvel com ecrã típico sensível ao toque mas com um leque de controlos que surgem através do deslizar apresentando um direccional e botões ao estilo PSP e ainda uma curiosa "faixa" para controlo analógico por toque, usando dois polegares.

O ecrã é um LCD de 4" com uma resolução de 854x480 – uma considerável melhoria sobre os 480x272 da PSP, mas ainda assim bem longe do padrão estabelecido pelo ecrã "Retina" a 960x640 do iPhone 4. Outros elementos avançados pela informação incluem uma câmara de cinco megapixeis com flash LED, suporte microSD (num telemóvel Sony?), 512 MB RAM, 512MB ROM e uma bateria 1,500mAh.

Em termos do processador principal, um Snapdragon QSD8255 faz o espectáculo correr segundo o IT268. Este é um sistema completamente no chip (SoC) similar ao juntar de partes que criam o processador A4 da Apple, incluindo tecnologia de CPU e gráficos. Também contém o silicone necessário para se ligar à rede GSM juntamente com um leque de protocolos baseados em dados desde GPRS até HSPA+. O CPU em si é um Qualcomm Scorpian, baseado num ARMv7 core - a correr a 1GHz.

Em termos gráficos, o QSD8255 apresenta um núcleo gráfico Adreno 205 – radicalmente melhorado sobre o seu predecessor 200 e lá em cima com os melhores GPUs de único núcleo feitos pela fornecedora da Apple, a IMG. Testes independentes, se bem que um pouco incompletos colocaram-no perto do SGX540 da IMG, encontrado no Samsung Galaxy S.

O QSD8255 não é nada novo. É uma parte que vem da prateleira já usada em telemóveis existentes tais como o HTC Desire HD, mas é claramente altamente competente alcançando a linha de topo da actual tecnologia de smartphones. O PlayStation Phone, baseado no Android, deve funcionar muito bem a correr jogos actuais, específicos a esse sistema operativo, e se, tal como se suspeita, a Sony estiver a trabalhar em títulos específicos para o telemóvel, a dona da plataforma vai ter o benefício de ser capaz de ajustar os jogos para a exacta configuração do aparelho, levando a ganhos de performance próprios.

No entanto, que tipo de empenho no desenvolvimento vai a Sony dar ao telemóvel permanece ainda incerto. Pode bem ser o caso de a companhia estar a abordar um mercado de jogos mais casual aqui enquanto que a futura PSP2 vai ter como alvo a existente audiência.

Incertezas rondam a constituição da PlayStation Pocket do telemóvel, uma aplicação que supostamente alberga jogos específicos para telemóvel e o portal dos quais os descarregas. No passado a Engadget falou sobre um novo "ecossistema" desenhado em colaboração com a Google, que são responsáveis pelo sistema operativo Android que dá vida ao telemóvel. No entanto, o que é ainda questionável e se isto é provável, levando em conta que a Sony tem a sua própria infra-estrutura bem estabelecida na forma da PlayStation Network. Se não houver suporte PSN, questões precisam mesmo de serem respondidas sobre o quão envolvida e o quão disposta está a dona da marca PlayStation, a SCE, no novo telemóvel.

Permanecem também questões sobre como este novo aparelho se vai situar dentro da hierarquia da aparelhos PlayStation. A Apple teve isto estabelecido desde o primeiro dia – a gama iPod Touch é uma subsidiária da gama iPhone. O Touch faz quase tudo o que o Phone faz, excepto ligar-se a uma rede telemóvel. Portanto quais são as intenções com o PlayStation Phone?

As especificações estão significativamente atrás do que foi anteriormente sugerido para a nova PSP2. Claramente não suporta o seu ecrã de toque traseiro único, e está quase certamente a correr num sistema operativo completamente diferente, portanto a noção de que isto é um equivalente PSP2 no telemóvel parece ser algo não plausível. Títulos PSone poderiam correr no telemóvel por emulação, mas isto torna o ecrã de 854x480 num desperdício de tempo sem sentido. Emular os dois chips 333MHz dentro da PSP está para além do alcance das especificações sugeridas.

As nossas fontes dizem-nos que os títulos PSP existentes vão ser transportados para o telemóvel o que faz mais sentido, mas isto introduz os seus próprios desafios: primeiro requer um substancial investimento da Sony em trazer para aqui os seus títulos principais, e segundo significa que terceiras editoras vão precisar de investir o dinheiro para transportarem o seu existente catálogo de jogos PSP.

O PlayStation Phone parece um pedaço de equipamento interessante se bem que pouco impressionante. Vão ser os jogos a ter que nos convencer das suas possibilidades.

Marcado com

Sobre o Autor

Richard Leadbetter avatar

Richard Leadbetter

Technology Editor, Digital Foundry

Rich has been a games journalist since the days of 16-bit and specialises in technical analysis. He's commonly known around Eurogamer as the Blacksmith of the Future.

Comentários